Notícias

Conexão Varejo: colaboradores felizes geram resultados melhores

É inegável que quem está feliz no trabalho produz mais, se desenvolve melhor e anda lado a lado com os propósitos da empresa. Por isso, companhias que desejam esses resultados sabem que é preciso proporcionar ambientes agradáveis e iniciativas que valorizem o funcionário. E no varejo isso é ainda mais urgente, já que tudo gira em torno das pessoas, que são responsáveis por atender, fidelizar e encantar o cliente.

Mas o que torna uma empresa atrativa para o colaborador? Segundo Carla Costa, diretora regional de varejo do Great Place To Work (GPTW), tudo começa com a relação de confiança entre empregado e empregador. O GPTW é a instituição que criou e divulga anualmente o ranking das Melhores Empresas para Trabalhar. “Entre as varejistas que se destacam em satisfação no trabalho, observamos comportamentos como transparência e autonomia, o que deixa os processos menos burocráticos e os clientes mais satisfeitos”, afirma.

Companhias referência que aparecem na mais recente lista do GPTW são Magazine Luiza, Gazin e Leroy Merlin, que se destacam como organizações em melhoria contínua, com foco total no bem-estar e no crescimento de seus colaboradores. Para a especialista, esse é um importante pilar do modelo de gestão, que deve que ser olhado antes de todos os outros, afinal, são as pessoas que estão por trás de todos os processos da empresa.

Capacitar para atrair

Investimento no desenvolvimento de pessoas, aliás, é mais um ponto comum entre aqueles que são considerados os melhores lugares para se trabalhar. Como explica Carla, isso acontece porque atualmente não se busca apenas um trabalho, mas sim uma atividade que esteja alinhada com os propósitos e valores de cada um. “Os indivíduos querem um emprego que traga aprendizado e crescimento tanto pessoal como profissionalmente. Ao oferecer isso, as organizações aumentam muito a sua capacidade de atrair e reter os melhores talentos.”

Cultura é fundamental

Aumentar o índice de satisfação do colaborador, no entanto, não diz respeito apenas à oferta de benefícios. Para a presidente da ABRH-RS, Crismeri Corrêa, é necessário que a empresa que contrata deixe claro para os futuros profissionais o seu propósito e os valores, que precisam fazer sentido para quem está ingressando. “O colaborador precisa ter o acompanhamento do gestor para identificar se está aderente à cultura e se o ambiente está correspondendo às suas expectativas profissionais. As lideranças precisam destinar tempo e esforço para compreender as motivações e anseios da equipe”, comenta. Para Crismeri, atitudes como essas contribuem para que o funcionário se sinta respeitado no ambiente de trabalho.

Espelhe-se

Acompanhar as práticas de empresas que são queridas pelos colaboradores, segundo Crismeri, é uma trajetória de aprendizado e deve fazer parte da rotina dos empresários do varejo, já que esse mercado está em constante transformação. “Sabemos que estão acontecendo mudanças significativas com o e-commerce, a inteligência artificial, os produtos e serviços inovadores, entre outros. Nesse sentido, o benchmarking torna-se fundamental”, conclui.

 

Práticas das melhores

Como as empresas listadas no ranking Melhores Empresas para Trabalhar, do GPTW, potencializam a felicidade dos colaboradores:

>> 40% universidade interna;
>> 68% coaching;
>> 48% mentoring;
>> 34% verba para o colaborador utilizar no programa de desenvolvimento que preferir.

 

Leia esta e outras matérias na edição digital da revista Conexão Varejo, clicando aqui.