Notícias

Pesquisa do Sindilojas Porto Alegre revela hábitos dos lojistas nas redes sociais

O Núcleo de Pesquisa do Sindilojas Porto Alegre buscou entender como os lojistas da Capital enxergam e utilizam as redes sociais para as suas empresas. No estudo, realizado em nove segmentos* do comércio, foi constatado que esses canais têm importância para 100% dos negócios de médio e grande porte, já para 32,3% das micro e pequenas empresas a presença nas redes é pouco ou nada relevante. As plataformas mais utilizadas pelas marcas são Facebook e Instagram.

Entre os motivos apontados por quem possui um perfil empresarial nas redes estão, principalmente:

- a divulgação de conteúdos e outros materiais (91,4%);
- a visibilidade nos canais online (48,1%);
- a interação com o público (25,9%).

Os principais benefícios percebidos pelas marcas no uso das redes sociais são:

- a divulgação da marca (84%);
- o aumento de vendas e do número de clientes (60,5%);
- engajamento com o público (17,3%);
- aumento do tráfego no blog ou site da empresa (7,4%).

Por meio do estudo, foi possível compreender também que, embora a maioria dos lojistas defenda a importância das redes sociais para os negócios, extrair o máximo de benefícios desse meio ainda é um desafio no setor varejista. Para 50% dos entrevistados, ter tempo para administrar é a principal dificuldade encontrada. Conseguir manter uma frequência de publicação é a frustração de 33% dos lojistas. Outras dificuldades relatadas foram: monitorar menções e comentários (17,3%), segmentar o perfil do público alvo da empresa (16,7%), aumentar o alcance da publicação (10%), manter o público engajado (7,4%) e resolver conflitos relacionados à marca (7,4%).

A falta de tempo (58%), de equipe para gerenciar os perfis (21%) e de conhecimento sobre redes sociais (32%) apareceram como os principais motivos das marcas que não estão nas redes sociais. Não considerar as plataformas importantes (10%) e não enxergar resultados (5,3%) também foram apontados por esses lojistas.

A pesquisa identificou ainda que, mesmo que para muitas marcas as redes sociais sejam importantes, são poucas as empresas (24,1%) que investem na qualificação dos profissionais com foco nesses canais.

 

*Vestuário, calçados, bazar e utensílios domésticos, eletrodomésticos e eletroeletrônicos, material de construção e ferragem, pet shop, acessórios, livraria e papelaria, móveis e decoração.