5 dicas de arquitetura para lojas

Porque o ponto de venda tem de ser mais do que bonito. Precisa ser funcional e confortável

Planejar a arquitetura de uma loja é um dos pontos fundamentais de quem busca o sucesso do seu empreendimento. Em varejo, mais do que beleza, o que conta é que o espaço também seja confortável e funcional. A arquiteta Marina Debasa, sócia do escritório Arquitetude e especialista em arquitetura comercial, separou 5 dicas de arquitetura para loja para quem deseja abrir seu negócio e conquistar os clientes pelo charme. Confira:

1. Localização: a localização da loja influencia em vários fatores da estrutura do empreendimento. "Algumas lojas vão precisar priorizar a segurança, outras a iluminação. Tudo depende de onde elas estão. Lojas de shopping são diferentes de lojas de rua, por isso a localização é tão importante. Mais do que ter um ponto movimentado para loja, o importante é estudar o local para conhecer a vizinhança, a concorrência, etc", disse Marina, em nota.

2. Vitrine: a vitrine é o cartão de visitas da loja e deve estar sempre arrumada e atualizada. "É a vitrine que anuncia os produtos e atrai o consumidor a entrar na loja, por isso ela deve ser coesa com o que a marca deseja passar e com o tipo de público que quer atrair. Mudanças na vitrine devem se feitas depois que a loja fecha, para que o consumidor tenha a oportunidade de se surpreender com o que está exposto", explica a arquiteta.

3. Estrutura da loja: ter uma vitrine atraente é o primeiro passo para influenciar o consumidor a comprar, mas ter uma loja bonita, organizada e funcional pode ajudá-lo a decidir sobre a compra. "Todo mundo gosta de entrar em lojas que estejam bem iluminadas, arrumadas e bem conservadas. Para tanto, além de servir produtos de boa qualidade, a loja precisa contar com uma ótima estrutura em móveis e acessórios para servir bem seu cliente", lembra Marina.

4. Priorize a circulação: é muito importante que o cliente, ao se sentir atraído por uma vitrine, possa se sentir a vontade para entrar na loja e circular por ela, daí a importância de o espaço estar livre e otimizado. "Nada pior do que entrar em uma loja e ter a sensação de que ela está bagunçada e que existem coisas em excesso. Isso espanta o cliente. Por isso, cada coisa deve ficar no seu lugar, priorizando a circulação e facilitando o acesso aos produtos", avisa a arquiteta.

5. Contrate um arquiteto: ter mão de obra especializada trabalhando no projeto de arquitetura para loja é importante, pois o profissional da área pode adequar o espaço disponível as necessidades da marca, além de criar um ambiente agradável para os clientes e colaboradores. "Mais do que ter uma loja bonita, é necessário ter um espaço funcional e único, e isso a arquitetura comercial pode criar", finaliza Marina.

 

Fonte: Potal No Varejo

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais