Ações podem se tornar presentes de longo prazo

Uma carteira de ações de empresas com perspectiva de lucro no longuíssimo prazo, entre as quais Vale, Petrobras, Usiminas e Gerdau, foi o presente do diretor da Diferencial Corretora, Leonardo Borba, a um…

Uma carteira de ações de empresas com perspectiva de lucro no longuíssimo prazo, entre as quais Vale, Petrobras, Usiminas e Gerdau, foi o presente do diretor da Diferencial Corretora, Leonardo Borba, a um afilhado na comemoração do primeiro aniversário. Passada uma década, o desempenho médio da aplicação em nome do menino, hoje com 11 anos, supera com folga a variação da taxa básica (Selic) no período, apesar de o saldo ter caído pela metade há dois anos devido à crise das hipotecas norte-americanas. – Repetiria o gesto como presente de Natal, pois, além de multiplicar o valor com o tempo, o monitoramento da evolução dos papéis no mercado ajuda na educação financeira na infância e na adolescência – ressalta Borba.

Lotes de papéis da Petrobras também integram as intenções de presente de Natal de outros dois especialistas financeiros – e podem ser oferecidos em qualquer época do ano.

Mesmo com a variação nula do Ibovespa (que representa a média das 65 ações mais importantes na Bolsa de São Paulo) em 2010, lembra Ivanor Torres, analista da Geral Investimentos, vários papéis estão próximo do pico das cotações, entre os quais Souza Cruz, Ambev, Marcopolo, Vale e Randon. Outras ações, como as da Petrobras e da Gerdau, estão com preços defasados e, por isso, estão tecnicamente baratas, constituindo-se em boas oportunidades de negócio. – É preciso avaliar múltiplos aspectos, como o P/L (anos necessários de lucro para a ação dobrar de preço) das companhias, para prospectar as maiores chances de ganho – explica.

Os interessados em obter retorno no curto prazo, esclarece Torres, precisam analisar os gráficos de cada papel pretendido, o que requer um assessoramento de profissionais. No caso de projeção de ganho no médio e longo prazos, os investidores devem se concentrar nos fundamentos econômicos da empresa, como faturamento, lucro, dívidas e futuros negócios.

Baixas podem ocorrer em investimentos de risco

Apesar do conturbado processo de capitalização da estatal, que pesou para a perda de cerca de 30% neste ano, afirma Nilton d’Avila Farinati, orientador do Instituto Nacional de Investidores (INI), as ações da Petrobras são promissoras no longo prazo, pois em cinco anos a companhia deve começar a lucrar com a exploração da camada do pré-sal. – Aos jovens, daria papéis da Petrobras para que possam desfrutar do lucro em 10 anos, mas para pessoas maduras meu presente de Natal seriam títulos do Tesouro Direto com rendimento atrelado à inflação – enfatiza.

Ou seja, oferecer aplicações como presente depende do perfil do contemplado e da previsão de utilização dos recursos. No curto prazo, a melhor alternativa são os produtos de renda fixa, como certificados de depósito bancário (CDB), fundos de investimentos e caderneta de poupança.

Mesmo que promissores, os ativos de risco exigem períodos mais longos de depósitos, pois podem ocorrer prolongadas e inesperadas baixas na bolsa.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais