Aeroportos: opção para expandir

Já faz tempo os aeroportos tornaram-se lugar para fazer comércio. Com a expansão de muitos no Brasil, e expectativa de maior circulação nos corredores, as marcas colocaram de vez esses locais na rota de…

Já faz tempo os aeroportos tornaram-se lugar para fazer comércio. Com a expansão de muitos no Brasil, e expectativa de maior circulação nos corredores, as marcas colocaram de vez esses locais na rota de crescimento. Não é à toa que muitas redes privilegiem a expansão via aeroportos.

É o caso da Sunglass Hut, rede especialista em óculos de sol premium e fashion. No Brasil, a marca tem operação no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Em 2015, a Luxottica, que administra a marca Sunglass Hut, planeja a abertura de mais pontos de venda da marca, tanto próprios quanto em parceria, em aeroportos internacionais. Um deles será no aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro, junto com mais 17 lojas no resto do País, fora de seus aeroportos.

Somente em 2014, a marca abriu 31 lojas em aeroportos – totalizando 140 em aeroportos internacionais em todo o mundo. Desses novos pontos de venda, oito foram abertos em parceria com lojas de varejo de viagem da “Travel Retail Operators”, entre eles o “Dufry” de Milão Malpensa e Linate, o “LS Travel Retail” de Roma Fiumicino e o “World Duty Free Group” de Dusseldorf, na Alemanha, favorecendo a entrada da Sunglass Hut nos aeroportos de seis novos mercados, como o Brasil, México, Chile, Itália, Alemanha e Bahrain.

Além disso, a marca abriu operação no novo terminal do aeroporto de Londres Heathrow. “Nossa ambiciosa estratégia está começando a ganhar impulso e nossa abordagem de parcerias está dando frutos para todos os membros do Grupo Trinity, que gerencia essas lojas nos aeroportos”, comentou, em nota, Francis Gros, diretor global de canais da Luxottica.

“A Sunglass Hut tem demonstrado ser líder de vendas de óculos de sol em aeroportos, com alguns dos espaços mais produtivos comercialmente por metro quadrado. Além disso, temos confirmado que isto não canibaliza as principais lojas “”duty free””, conseguindo até fazer crescer o quesito da categoria”, explicou.

Ao todo, a rede tem 2700 operações em países como Estados Unidos, Canadá, Caribe, Europa, Austrália, Nova Zelândia, Índia, Hong Kong, Cingapura, Oriente Médio e África do Sul, além da América Latina. No Brasil, a marca conta com mais 67 lojas nas principais capitais.

Os aeroportos também têm sido alvo de marcas que não têm know how próprio de varejo. É o caso da Delta Q, marca da indústria de café Delta Cafés, que abriu o primeiro ponto de venda em São Paulo para ter contato direto com o consumidor. E o local: aeoporto de Congonhas.

A marca tem 53 anos no mercado português e está presente em 35 países. No Brasil, desembarcou em 2012 com as máquinas de café. A operação no aeroporto é o primeiro quiosque com a marca Delta Q em São Paulo, operado por um parceiro, a GRSA.

No entanto, a companhia já tem experiência com varejo por aqui, pois opera diretamente uma cafeteria em Vitória, no Espírito Santo, há 4 anos. Em Portugal são outras três lojas em operação. O investimento no quiosque no aeroporto é ganhar presença no mercado, segundo a marca, sempre em parceria com alguém que entende de varejo.

Fonte: No Varejo

Veja também

    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 02/03 A 08/03

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Sindilojas POA realiza mais um Feirão de Empregos

    Veja mais
    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais