Branding, já!

O varejo se resume, além da qualidade da gestão em si, prioritariamente em gerenciar marcas de valor.

Adotar o Branding é uma inovação em si.

Talvez a maior que uma empresa possa implementar em sua…

O varejo se resume, além da qualidade da gestão em si, prioritariamente em gerenciar marcas de valor.

Adotar o Branding é uma inovação em si.

Talvez a maior que uma empresa possa implementar em sua história. Não conheço nenhuma empresa que não melhorou seu desempenho após adotar o Branding como filosofia, mesmo não inovando tanto em seus produtos ou serviços.

No mínimo, o Branding potencializa as forças históricas existentes, principalmente as humanas, que é a base de tudo.

O que está faltando para sua empresa brandear?

É falta de conhecimento? Medo???

A maior desculpa que ouço é que a empresa não tem estrutura, faltam pessoas preparadas, além é claro do desconhecimento. Para mim em todos os casos é falta de visão dos líderes e essa miopia pode custar o futuro da empresa na medida em que as outras empresas, principalmente os concorrentes, podem estar adotando o Branding na sua frente. O que acho mais incrível é que não é preciso reinventar a roda. O conhecimento já existe. Se não está ainda dentro da empresa, é possível adquirir essa competência no mercado.

O Branding como o Marketing não foram inventados aqui, e estão sendo implantados com sucesso no mundo todo. Produtos e serviços se copiam, marcas com alma e carisma, não. E esse valor simbólico protege a marca na competição, estabelecendo o diferencial mais valioso que existe, o emocional. E para criar mística hoje em dia não bastam mensagens, é necessário experiências. Mais do que ver e ouvir, é preciso sentir, experienciar, envolver, conectar. São as técnicas do Branding que fornecem esses conteúdos.

O Branding é uma decisão empresarial, não da equipe, nem mesmo de Marketing como muitos pensam. O Branding engloba a totalidade da empresa, a sua razão de ser, o seu propósito, cultura, valores e principalmente, à partir de sua essência criar a mística, humanizar a marca, criando vínculos emocionais e espirituais com as pessoas, começando com os funcionários, clientes, consumidores e comunidades, enfim com o ser humano. Orienta atitudes, comportamentos, ações comunitárias e até o portfólio de produtos. Até a melhor inovação é aquela inspirada pelos princípios da marca, o que diga-se de passagem, poucos sabem fazer.

Sendo tão importante, é uma decisão que depende do Top Management. É decisão de acionistas, dos donos ou de um Presidente profissional. Com o tempo, acredito, será uma exigência até do Comitê de Governança das empresas, quer seja de capital aberto ou fechado.

O Branding não é um modismo e uma vez adotado, deveria se para sempre, visando a perenização das empresas.

O Branding é Universal

O Branding é fundamental para todo tipo de Organização, País, Lugares, Negócio, Produto, Serviço, celebridades, Profissionais, Pessoas, Estudantes e VAREJO.

Desde as Nações Unidas que é considerada a maior organização do mundo, as Comunidades de Países como a Comunidade Europeia, os Países, Regiões, Cidades, Bairros, Ruas, Empresas, ONGs, Produtos e Serviços, o Comércio Varejista, enfim todos podem se beneficiar dos princípios do Branding. Pelas experiências comprovadas mundialmente, ninguém hoje em dia poderia abdicar do Branding para melhorar o seu desempenho. A típica avaliação do ANTES e DEPOIS pela aplicação do Branding é comprovadamente uma Brastemp ( sem comparação! ).

O Branding é considerado ainda o melhor modelo de gestão para transformar e criar valor para os negócios, lugares e pessoas!

Branding e o Varejo

O comércio varejista, quer físico ou virtual, em minha opinião, pelo nível de competição e pelo desafio de criar continuamente valor e diferenciais, não poderá prescindir do Branding.

Sem o Branding a empresa, ou mais especificamente, a Marca, fica enfraquecida. Ela não vai à guerra com as mesmas armas que os seus concorrentes que estão praticando o Branding.

Sabemos que quem é pioneiro leva vantagem. Se não é o seu caso, não fique paralisado. Pratique então a imitação criativa!

No varejo você tem que ser eficaz em todo o processo. No ANTES, DURANTE e DEPOIS da compra. Mais uma vez, as principais ações nesses três estágios, são potencializados utilizando-se os princípios do Branding.

Para mim, o varejo se resume, além da qualidade da gestão em si, prioritariamente em gerenciar marcas de valor. A do próprio estabelecimento como as que são ali vendidas. São especiais o caso da grife que assina tanto a loja como os produtos e serviços, como o sistema de Franquia, onde o grande capital do negócio é a MARCA. Em todos os casos, valem os mesmos princípios para criar e entregar os SONHOS e as PROMESSAS da Marca.

O que está faltando para você brandear?

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre recebe prêmio da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Funcionamento do comércio no feriado de Tiradentes: saiba como será

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais