Cinco tendências para o varejo em 2017

Robôs que atendem clientes, lojas com performances de música e teatro, assistentes virtuais que fazem as compras para você: essas são algumas das novidades apresentadas durante a última edição do Retail Big Show.

Robôs que atendem clientes, lojas com performances de música e teatro, assistentes virtuais que fazem as compras para você: essas são algumas das novidades apresentadas durante a última edição do Retail Big Show, encontro mundial do varejo, realizado em Nova York, com promoção da Nacional Retail Federation (Federação Nacional do Varejo dos EUA). Durante três dias, o evento reuniu 35 mil participantes de 94 países – a maior delegação estrangeira foi a do Brasil, com 1.306 participantes. Confira abaixo as maiores tendências para o varejo em 2017.

Valorização do vendedor: Não adianta investir em tecnologia, se a loja não contar com funcionários bem preparados, capazes de engajar o consumidor e de fazer uso de todas ferramentas à sua disposição. “Robôs não vão proporcionar uma experiência de compra inesquecível para o cliente. Só pessoas são capazes de fazer isso”, diz Marcos Gouvêa de Souza, diretor-geral do Grupo GS& Gouvêa de Souza. Para contar com os melhores funcionários, as lojas devem investir em capacitação contínua, capaz de estimular os empregados a crescer dentro da empresa. Quem procura funcionários capazes de lidar com análise de dados deve recrutar em universidades, onde estão os talentos mais promissores da tecnologia.

Ponto de venda teatral: A preocupação em conquistar o cliente está levando as lojas a criarem ambientes inusitados, que usam recursos performáticos e audiovisuais para entreter o consumidor. A ideia é proporcionar diversão e bem-estar: a compra é uma consequência. Bons exemplos dessa tendência são a loja da Nike no bairro do Sonho, em Nova York, e a nova Apple Sore de San Francisco, que se transformaram em ponto de encontro de clientes apaixonados pelas marcas. 

Celular no centro de tudo: Esqueça o multicanal: o empreendedor deve focar, mais do que nunca, no celular, onipresente na vida dos consumidores. O dispositivo serve tanto para vender quanto para influenciar o cliente a se engajar com a sua marca, com ferramentas de relacionamento e interação. É fundamental marcar presença nas redes sociais de maneira bem-humorada e em sintonia com a linguagem do público-alvo.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais