Classe C gaúcha consome quase como classes A e B juntas

O consumo da “nova classe média” do Estado, no ano passado, representou 42,28% do total de 2002, quase atingindo o índice das classes A e B juntas, 43,46%, segundo o instituto Data Popular.

Em oito anos…

O consumo da “nova classe média” do Estado, no ano passado, representou 42,28% do total de 2002, quase atingindo o índice das classes A e B juntas, 43,46%, segundo o instituto Data Popular.

Em oito anos a classe C cresceu, tornou-se a nova classe média gaúcha, que responde atualmente por 42,28% do consumo total de bens de serviços, um crescimento de seis vezes, se comparado com 2002, onde representava apenas 25,06%.

De acordo com Renato Meirelles, sócio-diretor do Data Popular, além do aumento da população emergente, o critério de escolha popular, baseada no custo benefício fez a grande diferença para o domínio da nova classe média. O topo da pirâmide, representado pelas classes A e B, que participava de 63,24% do mercado de consumo em 2002, hoje detém 43,46% desta fatia, com crescimento de pouco mais de duas vezes. Nada significativo se comparado com a classe C, que cresceu praticamente seis vezes. Em 2010, todas as classes juntas consumiram R$ 147,8 bilhões.

Veja também

    PesquisaNoticias

    Na comparação com o Dia dos Namorados de 2023, 17% dos lojistas dizem ter vendid...

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra no Centro da capital

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Créditos do BNDES: empresário, você tem acesso a este recurso

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Sondagem do Sindilojas POA prevê Dia dos Namorados tímido para o comércio na ca...

    Veja mais