Coleta de lixo será por contêiner

Em vez de depositar os sacos de lixo na calçada ou nas lixeiras, moradores de 11 bairros de Porto Alegre terão de usar contêineres para esse fim a partir de junho de 2011. O Departamento Municipal de Limpeza…

Em vez de depositar os sacos de lixo na calçada ou nas lixeiras, moradores de 11 bairros de Porto Alegre terão de usar contêineres para esse fim a partir de junho de 2011. O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) está com licitação aberta para selecionar a empresa que fará o gerenciamento de 1,2 mil recipientes metálicos que serão espalhados pelas ruas.

O projeto-piloto será implementado no perímetro compreendido pelas vias João Goulart, Edvaldo Pereira Paiva, Ipiranga, Silva Só, Mariante, Goethe, Dr. Timóteo, Cristóvão Colombo, Ramiro Barcelos, Voluntários da Pátria, Conceição e Mauá. Assim, todos os imóveis localizados dentro dessa área serão afetados pela mudança.

Além do Centro Histórico, o projeto será instituído, total ou parcialmente, nos bairros Praia de Belas, Menino Deus, Farroupilha, Cidade Baixa, Azenha, Santana, Bom Fim, Rio Branco, Moinhos de Vento e Floresta. Em cada quadra, serão instalados um ou dois contêineres. O morador caminhará, no máximo, 50 metros de seu prédio até o contêiner para depositar seu lixo.

A partir da mudança, será permitido aos moradores depositar sacos de lixo nos contêineres em qualquer horário do dia, o que é proibido atualmente. O que passará a ser coibido é o depósito nas calçadas. – Nosso objetivo é diminuir os focos de lixo na cidade. Hoje, ele fica jogado na rua à espera do caminhão e é revirado por cachorros e catadores. Se der certo, vamos expandir para outras áreas – diz o diretor-geral do DMLU, Mário Moncks.

Conforme levantamento do DMLU, a Capital tem atualmente 300 focos de depósito de lixo irregular identificados, representando volume diário de 300 toneladas e custo mensal de R$ 500 mil. O volume é três vezes maior que o coletado no mesmo período pela coleta seletiva.

A expectativa é que o novo modelo, já em uso em cidades como Caxias do Sul, Rio Grande e Santa Maria, seja implementado na Capital até junho do ano que vem. Caxias do Sul foi uma das primeiras cidades do Brasil a adotar a medida, em agosto de 2007. Hoje, cerca de 100 mil caxienses se beneficiam da iniciativa, o que corresponde a quase um quarto da população.

Empresa terá 90 dias para implantar equipamentos

Na Capital, o valor estimado para o contrato de prestação do serviço por cinco anos não foi informado pelo DMLU. Vencerá a licitação a empresa que atender aos requisitos do edital e oferecer o menor preço. A abertura das propostas ocorre no dia 12 de janeiro.

Após a assinatura do contrato, a empresa terá 90 dias para contratar pessoal, fornecer os 1,2 mil contêineres, comprar os cinco caminhões previstos e iniciar a coleta automatizada. Das ruas, os resíduos recolhidos serão levados para a Estação de Transbordo da Lomba do Pinheiro, localizada na Estrada Afonso Lourenço Mariante. De lá, o lixo seguirá para o aterro sanitário de Minas do Leão.

Além da implantação dos contêineres, o prefeito José Fortunati estuda a instalação de uma usina de queima de lixo, por meio de parceria público-privada (PPP). A iniciativa está na fase de estudos preliminares ao projeto. Antes, o foco é ampliar a coleta seletiva.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais