Com o aumento do IOF, como pagar compras no exterior?

Geralmente, o cartão de crédito é a opção mais barata para comprar no exterior. Usa uma taxa de câmbio – chamada de Ptax – que é mais baixa do que a cobrada pelas casas de câmbio, é mais seguro do…

Geralmente, o cartão de crédito é a opção mais barata para comprar no exterior. Usa uma taxa de câmbio – chamada de Ptax – que é mais baixa do que a cobrada pelas casas de câmbio, é mais seguro do que carregar o dinheiro vivo e ainda acumula milhas ou outro tipo de promoção. Só que o aumento do IOF é um motivo para o consumidor fazer alguns cálculos na hora de programar a viagem. Para isso, tenha algumas informações em mãos:

– Qual a taxa de câmbio que vem sendo usada pela operadora do seu cartão de crédito. Não tem como saber a taxa do dia da fatura, mas comparando a que é usada atualmente com o dólar do dia, já serve para uma ideia da diferença. Lembrando que, não importa a moeda em que for feita a compra, sempre será passado para dólar antes da conversão final para o real.

– Qual o câmbio e o custo total com taxas para trocar os reais pelo dinheiro em espécie.

– Existe o cartão chamado de Travel Money, que faz as vezes do antigo Travel Check em papel. Ele não cobra IOF, mas tem taxa por saque e muitos lugares não o aceitam para pagamento como é feito com cartão de crédito. É também preciso saber qual a cotação usada, se a Ptax, que é a mais baixa, ou a cotação de dinheiro em espécie.

– Quais taxas adicionais e até mesmo administrativas que a operadora cobra. Elas aumentam o “custo” do câmbio.

– Pese ainda se há promoções como milhas oferecidas no cartão de crédito e a segurança de não se andar com dinheiro na mão.

Operadoras poderão compensar a diferença

Presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais/Extremo Sul, Marco Martins, acredita que o aumento do IOF pode inibir as compras em um primeiro momento. Mas aposta que as operadoras não vão perder essa concorrência e devem acabar por baixar a cotação da moeda para compensar a alta no imposto. – Na prática, pode haver uma redução nas compras no exterior. Só que no médio e longo prazo, é bem possível que as empresas de cartão de crédito usem taxas menores do dólar para fazer a compensação e não perder mercado. O decreto será publicado na segunda-feira e deve estabelecer a partir de quando a alíquota de IOF será ampliada de 2,38% para 6,38%. O Imposto sobre Operações Financeiras incide sobre a compra no exterior porque há uma operação de câmbio no processo de cobrança do consumidor.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    Noticias

    Matrículas para selecionados no Capacita + POA tem o prazo prorrogado

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais