Comércio comemora aprovação do cadastro positivo

SÃO PAULO – A CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Logistas), a Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) e a ACSP (Associação Comercial de São…

SÃO PAULO – A CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Logistas), a Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo) e a ACSP (Associação Comercial de São Paulo) comemoraram a aprovação, na quarta-feira (1), do cadastro positivo pelo Senado Federal. Para o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, esta é uma grande vitória para a Confederação e todo o Movimento Lojista. “Com a implementação do cadastro positivo haverá queda de juros e uma igualdade na concessão de crédito. Consideramos ainda uma ferramenta à altura do consumidor brasileiro”. “Quem tem uma vida financeira intocável merece um juros menor do que quem não primou por isso. O que acontece hoje é que quem procura manter um nome limpo paga pelos inadimplentes. Não queremos coibir ninguém de ter crédito. Mas quem paga tudo direitinho não deve ter um juro de 12% ao mês no cartão. O justo é que, para ele, os juros variem entre 4% e 7%, essa é a diferença do cadastro positivo”, completa Alencar Burti, presidente da ACSP.

Ressalvas

A Fecomercio apoia a criação do cadastro, pois entende que essa ação irá melhorar o ambiente de risco no sistema de crédito, com o objetivo de reduzir os juros cobrados por bancos e financeiras. No entanto, segundo a Federação, o formato que foi aprovado no Senado não é o melhor, mas é o possível dentro das impossibilidades legais.

“O projeto apresenta algumas falhas, que se espera sejam corrigidas antes de entrar em vigor. Não está claro ainda como deve ocorrer a implementação do cadastro ou como seriam geridas e acessadas essas informações pelas empresas. Além disso, o cadastro é relativamente burocrático e as pessoas terão que se autocadastrar. No início haverá pouco estímulo para isso, dado que não será imediata a queda de juros para quem estiver no cadastro em relação a quem não estiver”, avalia a Federação.

“Certamente o efeito, ao longo do tempo, será o de premiar o bom pagador, porém vai demorar alguns anos para que efetivamente se tenha um volume de informações relevantes que possam diferenciar tratamento de crédito”, completa.

Incentivo ao crédito

Para o diretor da Witrisk, Fernando Manfio, a medida era aguardada pelo mercado interno de crédito e, sem dúvida, impactará em proporções mais justas nos juros no momento da concessão. “Acreditamos também que isso aumentará o volume de crédito ao consumidor e, ainda, incentivará sua tomada com mais frequência”, destaca Manfio.

Aguardando sanção

O texto agora segue para sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Acredito que a sanção saia já este ano. Para tentar avançar, já que o cadastro tramita há mais de 6 anos, resolve-se primeiro aprovar no Senado, esperar a sanção do presidente, para depois fazer a regulamentação”, afima Burti, da ACSP. Para Pellizzaro, da CNDL, a aprovação do cadastro positivo encerra um ano de vitórias para o Movimento Lojista, que comemorou também a quebra do monopólio entre as adquirentes de cartões de crédito. “O ano 2010 não poderia terminar melhor”, finalizou.

Veja também

    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Feira Brasileira do Varejo (FBV) é lançada oficialmente em Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 19/02 A 23/02

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Tendências mundiais que impactam o varejo local

    Veja mais