Como montar uma vitrine atraente e vendedora

É frequência a afirmação de que “a vitrine é o cartão de visitas da loja” e, de fato, ela exerce um enorme poder de atração sobre o consumidor, além de ser uma importante ferramenta de comunicação ediferenciação – principalmente em um momento de mercados tão saturados como o que vivemos hoje. No entanto, infelizmente muitas lojas passam despercebidas por […]

É frequência a afirmação de que “a vitrine é o cartão de visitas da loja” e, de fato, ela exerce um enorme poder de atração sobre o consumidor, além de ser uma importante ferramenta de comunicação ediferenciação – principalmente em um momento de mercados tão saturados como o que vivemos hoje.

No entanto, infelizmente muitas lojas passam despercebidas por negligenciarem este espaço de exposição tão importante. E para evitar que sua loja faça parte desse grupo de espaços monótonos e desinteressantes, dê uma olhadinha nas dicas que separamos abaixo para você!

  • Selecione cuidadosamente os produtos

Uma boa vitrine começa com um bom sortimento de produtos. A escolha deve ser bem estudada, com base no público da marca, no histórico de vendas e na disponibilidade em estoque, e não feita de forma aleatória. Selecione os itens pensando em que estória eles contam quando expostos em conjunto. A que necessidade do cliente eles atendem? Quais emoções despertam e qual é o momento comercial do varejo? E para isso é fundamental conhecer muito bem quem é seu público alvo, caso contrário vai ficar complicado responder as questões levantadas aí em cima para obter bons resultados.

  • Organização, organização e organização

Organização é TUDO. Uma vitrine organizada orienta o cliente, direciona o olhar e facilita a percepção do mix de produtos ofertados. Excesso de “coisas” (seja de produtos, cartazes ou decoração) ao invés de mostrar mais itens (como muitos creditam), por contraditório que possa parecer, faz o consumidor enxergar menos. Temos poucos segundos para visualizar uma vitrine, se colocamos muitos itens em exposição tiramos o foco do consumidor que fica “sem saber para onde olhar” e acaba desestimulado devido à dificuldade da experiência.

  • Iluminação

Uma boa iluminação permite que os produtos sejam vistos com clareza, direciona o olhar do cliente para o produto e ajuda a compor esteticamente o cenário da vitrine. Prefira spots direcionáveis que podem ser movimentados para acompanhar as mudanças dos elementos de lugar e evite deixar muitas áreas na penumbra para não deixar a vitrine escura e passar uma impressão de falta de cuidado.

Lâmpada queimada jamais!

  • Faça uso inteligente das cores

As cores transmitem emoções e cada tonalidade provoca uma resposta diferente nos seres humanos por isso devem ser usadas de forma estratégica para compor a mensagem adequada que se quer transmitir com a vitrine. Por exemplo: cores quentes (vermelho, amarelo, laranja) são mais vibrantes e jovens enquanto cores frias (azul, verde, roxo) são mais tranquilas e seguras.

  • Estabeleça um cronograma

Por último (mas nada menos importante, muito pelo contrário) tenha um planejamento. Analise quais as principais datas comerciais sua marca deve explorar e defina quantas trocas de cenografia de vitrine cabem no seu orçamento. Assim fica muito mais fácil programar ações e medir os resultados.

 

Fonte: Whatever Varejo Criativo.

Veja também

    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais