Como turbinar seu negócio em 30 dias

Pequenas ações podem fazer sua empresa aparecer mais para os clientes e crescer

São Paulo – Reinventar um negócio em 30 dias pode parecer uma tarefa impossível, mas não é nenhum milagre. É possível melhorar os negócios da sua empresa com pequenas ações diárias. Em vez de reformular toda a área de marketing, por exemplo, insira mudanças pontuais que vão fazer com que sua empresa seja mais lembrada e os clientes, mais fiéis.

Em 30 dias, dá para renovar e atualizar processos que já não funcionam e melhorar a rotina de trabalho. Importante: para fazerem efeito, todas essas ações devem envolver todas as equipes da empresa. Quanto mais gente empenhada em melhorar, mais rápido as mudanças vão ser percebidas pelo mercado. E se precisar de um tempo extra, não faz mal. O importante é ter em mente que é possível fazer uma verdadeira revolução no seu negócio promovendo pequenas mudanças no dia a dia.
Confira a seguir qual a sugestão dos especialistas em marketing, finanças e planejamanto para turbinar o seu negócio em 30 dias.

Dia 1 Aposte em marketing digital
Segundo uma pesquisa do Ibope/Nielsen, 14% da população brasileira acessa a internet pelo menos uma vez ao mês. São 43,2 milhões de internautas ativos na rede. A previsão é que em algum tempo não fará mais sentido falar em marketing digital. “Toda ação de marketing será de alguma forma digital um dia”, explica Daniela Khauaja, coordenadora da área de marketing de pós-graduação da ESPM.

Dia 2 Fortaleça sua marca
Ter uma marca forte significa que os clientes vão se lembrar de você quando precisarem do produto que a sua empresa vende. Se a sua marca está deixando a desejar, reinvente-se. Escolha um nome fácil e uma cor que identifique seu negócio. Além disso, adote um padrão de apresentação e um posicionamento claro no mercado. “O único ativo que pode diferenciar a empresa é a marca, porque não pode ser copiada”, diz o especialista em branding, Fabio Fiorini.

Dia 3 Melhore o atendimento aos clientes
Não basta atender bem o cliente na hora da compra. O que pode beneficiar a imagem da sua empresa é o atendimento no pós-venda. Por isso, invista em um SAC eficiente e coerente com a imagem do negócio. É fundamental tentar detectar os problemas enquanto ainda forem pequenos e fáceis de administrar. “Busque pessoas experientes e que conheçam sua marca para interagir adequadamente com os clientes”, ensina Daniela Khauaja.

Dia 4 Atraia novos consumidores
É fato que as empresas que se acomodam não crescem. Por isso, se o seu mercado estiver parecendo pequeno, aposte nos novos consumidores. A geração Y é inquieta e sedenta por novidades, além de espalhar notícias com uma velocidade meteórica nas redes sociais. “Observar e conhecer o perfil desse público é a saída. Procure saber quais são os hábitos de compra, onde ele está, o que gosta, suas preferências culturais”, diz Adriano Augusto Campos, consultor de inovação do Sebrae/SP.

Dia 5 Acumule fãs no Facebook
Cada vez mais influente, a rede social de Mark Zuckerberg já está entrando no terreno do e-commerce. Por isso, atrair os consumidores até a sua página no Facebook é como recebê-los em sua loja. “Troque seu avatar, mude o fundo, personalize a página de acordo com as datas comemorativas do ano”, recomenda o especialista em mídias sociais Pedro Ivo Resende.

Dia 6 Organize os impostos
Um planejamento de tributos mal feito pode ser uma fonte de gastos desnecessários. Por isso, faça uma revisão de como sua empresa deve pagar ISS, ICMS, IPI, PIS, COFINS, INSS, IRPJ e CSLL. “Investigue quais os possíveis créditos fiscais que uma determinada operação tem direito e como isso é feito na empresa”, sugere Alexandre Galhardo, especialista em gestão fiscal-tributária.

Dia 7 Faça uma auto-avaliação
Você tem mesmo perfil de empreendedor? Não adianta insistir em manter um negócio se você não sabe delegar tarefas e lidar com imprevistos. Faça uma auto-avaliação e descubra quais são os aspectos que você precisa trabalhar para se tornar um empreendedor melhor.

Dia 8 Encontre um mentor
Ter por perto alguém que não esteja envolvido na operação do dia a dia da empresa pode ser crucial. Quem está de fora, enxerga problemas que o empreendedor pode deixar passar.Um mentor, nestes casos, precisa estar disposto a ajudar, ter boas experiências e passar conhecimentos compatíveis com o negócio. “Eles só fazem isso porque realmente acreditam que o conhecimento de anos de experiência tem o poder de ser aplicado e replicado”, explica Bianca Martinelli, líder da área de Serviço a Empreendedores da Endeavor.

Dia 9 Conheça o valor da sua empresa
Saber calcular o valor da sua empresa é importante na hora de negociar investimentos e avaliar propostas de possíveis investidores. No caso de negócios mais maduros, isso é feito através do fluxo de caixa descontado – conta na qual as receitas são projetadas no tempo e trazidas a valor presente. Se for uma startup, o valor do negócio pode ser estimado com base em investimentos já recebidos. “O valuation de startups é uma negociação difícil, seja com investidores ou potenciais sócios-capitalistas”, reconhece Yuri Gitahy é investidor-anjo, conselheiro de empresas de tecnologia e fundador da Aceleradora, que apoia startups com gestão e capital semente.

Dia 10 Proteja suas ideias
Registrar uma patente é a melhor forma de proteger o seu produto. Quando o projeto está registrado no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (Inpi), o inventor tem direito de lucrar com ele por 20 anos. Vale lembrar que nem tudo pode ser patenteado. “Ideias não são passíveis de patente. É preciso apresentar um projeto de algo que possa ser industrializado”, explica Sandra Fiorentini, consultora do Sebrae/SP.

Dia 11 Impacte a sociedade
Seja um empreendedor de alto impacto e colabore com a sociedade. Esse tipo de empresa tem crescimento acelerado para empregar cada vez mais gente, inovação no produto ou serviço, seja com algo absolutamente novo ou com uma mudança em um modelo já existente, importância regional e serve como um exemplo relevante para a sociedade. “Continuar inovando sempre, sem se acomodar, é muito importante”, diz Juliano Seabra, diretor de educação e pesquisa da Endeavor.

Dia 12 Atraia talentos para sua equipe
O desenvolvimento de uma empresa depende, em grande parte, de como os funcionáriossão estimulados a fazer sempre melhor. Assim, invista em treinamento, multiplique a competência e desenvolva os talentos para ver seu negócio crescer. “Antes de custos e competitividade, capital humano é a principal preocupação dos empresários”, destaca Dorival Donadão, sócio da DN Consult.

Dia 13 Seja inovador
Esse é o momento ideal para o desenvolvimento de negócios inovadores. Além de formar uma imagem benéfica para a empresa, a inovação atrai novos consumidores e melhora a cultura organizacional. Para começar, não confunda inovação com novidade. “A cultura de inovação de uma empresa pequena tem muito a ver com o dono”, explica Evandro Paes dos Reis, professor de empreendedorismo da Business School São Paulo (BSP).

Dia 14 Aumente a produtividade
Melhorar a produtividade pode aumentar o faturamento e os lucros. Um bom caminho é definir estratégias e transformá-las em metas. Com prioridades claras e senso de importância, é possível manter uma agenda organizada e ter tempo livre. “Sem tempo para si próprio, o empreendedor fica estressado, ansioso, nervoso e muitas vezes isso acaba refletindo em problemas de saúde”, justifica o especialista em produtividade pessoal Christian Barbosa.

Dia 15 Planeje cada ação
A maioria das empresas fecha por falta de planejamento, segundo o Sebrae. Para evitar este fim, planeje detalhadamente cada ação. Coloque suas ideias no papel e dê um passo de cada vez. “Estabeleça prioridades, defina procedimentos, faça uma coisa de cada vez. Falta de objetivos claros e reuniões desnecessárias são alguns dos mais famosos desperdiçadores de tempo”, aponta o consultor do Sebrae-SP, Reinaldo Messias.

Dia 16 Calcule o retorno do marketing
Para saber se as ações de divulgação da sua empresa estão certas, meça os resultados a partir das vendas e lucros gerados por elas, descontando os custos. “O período de payback, retorno sobre o investimento e taxa interna de retorno de projetos, como lançamentos de produtos, também é uma métrica”, diz Daniela Khauaja.

Dia 17 Organize as contas
Para começar a organizar as contas da empresa, identifique quais os relatórios você precisa conhecer e ter em sobre mesa e com qual frequência. A próxima tarefa é escolher um software para dispor os números. “Implante o software conforme o seu porte e complexidade de seu negócio – não saia gastando mais dinheiro do que o estritamente necessário”, ensina Márcio Iavelberg, especialista em finanças e sócio da Blue Numbers Consultoria Empresarial.

Dia 18 Antecipe despesas
Equilibrar as contas da empresa é uma tarefa difícil. Para ajudar, o especialista em finanças Márcio Iavelberg sugere que o empresário guarde ao longo do ano, desde janeiro, 1/12 do gasto com folha de pagamento em uma aplicação. “Outra possibilidade é o empresário pagar 50% do décimos terceiro já em junho. Assim, sobre para o final do ano somente metade da conta”, explica.

Dia 19 Conheça a rentabilidade do negócio
Muita gente se impressiona com os lucros no final de mês. Melhor do que saber os ganhos imediatos do negócio, é conhecer a rentabilidade. Esse percentual indica quanto do investimento feito na empresa está sendo recuperado. “A rentabilidade é o lucro líquido dividido pelo patrimônio (valor encontrado no balanço patrimonial da empresa)”, diz Márcio Iavelberg. É este o valor que indica se o seu negócio está dando bom retorno ou não.

Dia 20 Corte custos
Se as contas não fecham no final do mês, pode ser a hora de cortar custos. A dica é começar pelos negócios que não dão lucro para a empresa. “Em seguida, monitore duramente os orçamentos departamentais”, ensina Márcio Iavelberg. Outra fonte de custos que pode abrir um rombo no balanço são as despesas desnecessárias. Por isso, observe a autorização de despesas.

Dia 21 Terceirize serviços
Existem duas situações específicas em que vale a pena terceirizar funcionários. “A primeira delas é quando o serviço a ser terceirizado não faz parte do objetivo fim da empresa – por exemplo, um novo site para o negócio ou um contador”, ensina Márcio Iavelberg. A segunda situação é quando a empresa precisa de um trabalho ou estudo pontual, como uma consultoria. Use e abuse desses recursos para reduzir seu passivo trabalhista.

Dia 22 Motive a equipe
Funcionários bem preparados e motivados entregam mais do que é pedido e ajudam o negócio a decolar. Por isso, ofereça oportunidade de crescimento tanto financeira quanto pessoal. Outro ponto importante na política de recursos humanos é definir cargos e salários coerentes e reconhecer os resultados, fazendo uso da meritocracia.

Dia 23 Saiba identificar os gargalos do seu negócio
Não insista em um produto se ele não traz retorno no tempo esperado para o seu negócio. Se o caixa anda desequilibrado e as vendas estagnadas, é hora de repensar a estratégia. “Esperar as vendas caírem pode ser um erro fatal. Pode ser tarde demais para reconquistar o cliente”, alerta Marcelo Aidar, co-responsável pelo Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da FGV.

Dia 24 Delegue tarefas
Evite centralizar todas as tarefas da empresa. Quando o empreendedor consegue dividir atividades com a equipe, tem também mais tempo para se dedicar a inovações e melhorias. “O mito do herói sofredor é muito forte na nossa sociedade. Valorizamos aquele sujeito que se mata pela empresa. Mas há estudos que comprovam que aqueles que dedicam mais horas ao trabalho não são necessariamente aqueles que trazem os melhores resultados”, aponta Sergio Guimarães, consultor da Academia do Tempo.

Dia 25 Saia do vermelho
Buscar empréstimos com muita frequência pode acabar com a rentabilidade do negócio. Juros altos e caixa sempre no vermelho atrapalham o dia a dia. Pare e identifique a origem do problema. Muitas razões podem deixar uma empresa no vermelho, por isso, atacar cada uma delas é importante.

Dia 26 Ouça os clientes
Eles sabem melhor do que ninguém avaliar a sua empresa. Por isso, estar atento àsreclamações dos clientes é um passo fundamental para prevenir impactos futuros nas receitas. Aproveite os consumidores fiéis para ter um feedback mais detalhado e especifico de todos os fatores da empresa, do atendimento ao produto.

Dia 27 Estude
Busque cursos e palestras para se atualizar em melhores práticas de gestão e em assuntos específicos ligados à atuação da empresa. “Lançar um novo negócio pode ser um risco. As estatísticas sugerem que seis a cada dez novas empresas vão falir nos Estados Unidos. A educação empreendedora pode ajudar a evitar o fechamento precoce”, explica Andrew Zacharakis, diretor do Centro de Estudos de Empreendedorismo da Babson College, uma das principais instituições de ensino deste tipo no mundo.

Dia 28 Expanda
Quando for hora de crescer, procure analisar as diversas possibilidades. Pode ser a aquisição de outras empresas ou o modelo de franquias, por exemplo. “É bom sinal quando a demanda por franquias surge espontaneamente, por parte de clientes e amigos”, sugere Alain Guetta, da Associação Brasileira de Franchising do Rio de Janeiro (ABF-RIO).

Dia 29 Arrisque
Os empreendedores de sucesso são os que arriscam mais e melhor, ou seja, calculam as decisões para não prejudicar a empresa. Saber se você tem o perfil adequado e sabe arriscar.

Dia 30 Invista no guarda-roupa
Saber se portar e se vestir pode ser meio caminho rumo a uma venda ou mesmo na hora de pedir um empréstimo. “Estar vestido adequadamente traz uma confiança maior para você e para o cliente, que tem a imagem de que você se preocupa em estar bem para recebê-lo”, justifica a personal stylist, Roberta Carlucci.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    FBV 2024 – o próximo passo está aqui

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 06/04 a 12/04

    Veja mais