Compras online: 24% das buscas resultam em lojas que vendem falsificações

Pesquisa alerta sobre número de sites que vendem produtos piratas. Usuário deve redobrar atenção nas compras de Natal.

As ferramentas de pesquisa são fortes aliadas para quem vai fazer as compras de…

Pesquisa alerta sobre número de sites que vendem produtos piratas. Usuário deve redobrar atenção nas compras de Natal.

As ferramentas de pesquisa são fortes aliadas para quem vai fazer as compras de Natal na internet. Mas elas exigem atenção. Cerca de 24% dos sites apresentados como resultados das buscas por produtos são propensos a vender produtos falsos ou piratas.
O número é de um levantamento da Symantec, feito com sites em língua inglesa. Ao digitar o termo “designer handgads” (bolsas de marca), por exemplo, 67% dos resultados são sites que vendem falsificação ou pirataria, mostra a pesquisa.
Dicas de segurança
A Symantec alerta para que o consumidor, em suas compras de Natal, verifique sempre se o site possui o certificado de segurança – uma imagem de um cadeado – na barra de status do navegador.
A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) recomenda também, entre os 20 “mandamentos” da segurança em compras on-line, que se tome cuidado redobrado com o cartão de crédito, o qual não deve jamais ser emprestado a terceiros e nem ficar sem assinatura.
Além disso, a senha do cartão de débito deve ser preenchida no campo correto e, sempre que possível, ser memorizada em vez e anotada no papel.
Evitar fazer transações financeiras em computadores de uso público, trocar a senha periodicamente e não acreditar em e-mails supostamente do banco, solicitando troca de senha, são outros procedimentos que evitam que o consumidor caia em golpes virtuais.

Veja também

    Noticias

    Cultura organizacional é foco do debate no Varejo Movimento

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA participa da abertura de Feira da Acomac

    Veja mais
    Noticias

    Comércio Solidário: Sindilojas Poa é parceiro da Fecomércio-RS

    Veja mais
    Noticias

    O público 60+ consome e precisa ser melhor atendido

    Veja mais