Conexão Varejo: CEO do Great Place to Work (GPTW) fala sobre liderança

Depois de atuar como executivo em grandes empresas com diferentes culturas, Ruy Shiozawa lidera uma das instituições mais conhecidas que atua com o objetivo de tornar as empresas lugares melhores para se trabalhar. Confira a sua análise sobre gestão de pessoas hoje.

Formado em Engenharia de Produção e especialista em gestão empresarial, Ruy Shiozawa é CEO do Great Place to Work (GPTW) Brasil. Depois de atuar como executivo em grandes empresas com diferentes culturas, ele lidera uma das instituições mais conhecidas que atua com o objetivo de tornar as empresas lugares melhores para se trabalhar. Ruy concedeu uma entrevista exclusiva para a revista do Sindilojas Porto Alegre, Conexão Varejo, que você confere abaixo:

Quais as características de um líder inovador?

Aprender sempre, saber gerir pessoas e estimular a contribuição, dando espaço para as pessoas, é essencial. A habilidade de contratar pessoas melhores do que si mesmo (e ter humildade para fazer isso), estimular o desenvolvimento, ser transparente, confiável e confiar nas pessoas são outras diretrizes. Ser inspirador, com habilidade para construir um propósito que liga as pessoas e gera orgulho em pertencer também é fundamental. Nas pesquisas que fizemos, confirmamos que as lideranças que mais se destacam são as mais abertas e éticas.

Quais os principais ganhos em escutar os funcionários?

Há muitos, como a queda da rotatividade e o aumento na satisfação dos clientes, que é reflexo da felicidade do colaborador. A bolsa de valores mostra outra grande diferença, pois as melhores empresas para se trabalhar de capital aberto performam de duas a quatro vezes melhor do que as que não são. Além disso, equipes que são ouvidas adoecem e faltam menos. Uma mudança necessária na mentalidade é que alguém sempre tem que perder para outro ganhar, afinal quando o ambiente melhora, todos ganham.

Quais os impactos de uma gestão de pessoas desatenta?

É o oposto dos benefícios, além de ver as pessoas se desconectado do trabalho e da empresa. Um indicador importante para o varejo é o Net Promoter Score, que é quanto um cliente recomenda a marca, mas as empresas devem estar atentas também ao nível de recomendação interno, quando o colaborador indica a empresa para outros trabalhadores. O impacto desse indicador começa dentro, mas se reflete para fora na forma como a organização é vista. Em momentos de crise, por exemplo, esse engajamento faz muita diferença, já que em ambientes nocivos as pessoas saem, mas quando é bom, elas ficam para ajudar a superar. Ou seja, empresas com bom clima demoram mais para sentir crise e se recuperam mais rápido.

Como as transformações digitais impactam o mundo do trabalho?

Ou somos agentes de inovação ou alguém que assiste o que os outros estão fazendo. E o varejo é um dos setores mais sensíveis em um cenário de transformação digital. Ao mesmo tempo em que a tecnologia abre possibilidades de melhorias, também transforma ou até acaba com os negócios. Por isso, a capacitação deve ser constante para não ficar para trás. Ignorar isso é um risco mortal para os negócios.

O que significa ser um ótimo lugar para trabalhar hoje em dia?

Segundo as pesquisas que fazemos, significa ter a capacidade de gerar orgulho nos funcionários, promover um ambiente de cooperação e colaboração, estimular relações de confiança entre as pessoas e com as lideranças. O salário até é importante, mas não é decisivo. Por exemplo, não se trata de dar aumento se a empresa tem um ambiente nocivo, pois isso não segura as pessoas.

Como aumentar o engajamento dos funcionários com ações simples?

Ações que não custam, mas ajudam muito, são políticas de estímulo ao desenvolvimento, respeito à qualidade de vida e flexibilidade de horários. Estimular a cooperação abre os horizontes para a flexibilidade. Ter líderes que cuidam das pessoas, que ouvem e compreendem que pode haver problemas pessoais, traz resultado a custo zero. Além disso, criar uma cultura do feedback – pois quanto maior o número de feedbacks, maior o grau de engajamento –, celebrar as conquistas diárias e envolver as famílias ajuda. E tudo isso cria uma cultura positiva, que se espalha e se consolida quando é genuína.

Quais os principais desafios que o varejo possui?

O grande desafio é o varejo entender o seu valor e a sua contribuição ao mercado na formação de profissionais. Isso porque muitas pessoas têm o primeiro emprego no comércio. O varejo precisa se enxergar como um formador que presta uma grande contribuição no geral. Disseminar boas histórias, convidar ex-funcionários que tiveram sucesso para falar com os novatos, mostrar que é possível crescer e construir carreira na área vai criar uma imagem mais forte do setor e um novo jeito de fazer gestão de pessoas.

 

 

Veja também

    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 02/03 A 08/03

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Sindilojas POA realiza mais um Feirão de Empregos

    Veja mais
    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais