Confiança do empresário tem nova queda em fevereiro, mostra pesquisa Fecomércio-RS

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul (ICEC-RS) voltou a apresentar queda em fevereiro, registrando 94,9 pontos, num recuo de 16,7% na comparação com o mesmo mês do ano…

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul (ICEC-RS) voltou a apresentar queda em fevereiro, registrando 94,9 pontos, num recuo de 16,7% na comparação com o mesmo mês do ano passado e um decréscimo de 3,2% em relação a janeiro último. Na média de 12 meses, o indicador caiu de 109,4 pontos em janeiro deste ano para 107,8 em fevereiro. A retração do indicador reflete o comportamento dos três grupamentos dos índices avaliados: percepção quanto às condições atuais da economia, expectativas para os próximos seis meses e investimentos. Os dados constam de pesquisa elaborada pela Fecomércio-RS e divulgada nesta segunda-feira (dia 9).

“Os resultados de fevereiro mostram um aprofundamento na tendência de redução da confiança dos empresários do comércio, observada há muitos meses”, comenta o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. O índice de condições atuais, que reflete a percepção do empresário quanto ao momento presente da economia brasileira, ao setor e à própria empresa registrou um novo mínimo histórico em fevereiro de 2015, atingindo 68,1 pontos numa queda de 24,2% em relação ao mesmo mês de 2014 e redução de 2,8% na comparação com janeiro deste ano. Os outros componentes do indicador – percepção quanto ao comércio e à própria empresa – registraram quedas de 22,9% e de 15,9% na comparação a fevereiro de 2014, respectivamente.

O índice de expectativas quanto ao futuro atingiu 119,5 pontos, registrando queda de 14,8% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 3,3% em relação ao mês anterior. O comportamento do índice foi motivado pela forte deterioração das expectativas em relação à economia brasileira, cujo indicador registrou queda de 26,6%, atingindo a menor pontuação (97,4 pontos, no campo pessimista) desde o início da série, em 2011. Na média em 12 meses, o indicador passou de 140,2 pontos em janeiro de 2015 para 138,4 pontos em fevereiro último.

“A confiança do comerciante gaúcho atingiu um mínimo histórico. A pesquisa reflete claramente a percepção de que a situação atual da economia brasileira é pior do que há meses atrás e que a perspectiva de melhora fica cada vez mais distante”, destaca Bohn.

No que se refere aos investimentos do empresário do comércio, o indicador atingiu 97,1 pontos em fevereiro deste ano, com queda de 13,1% na comparação com fevereiro de 2014 e de 3,4% em relação a janeiro último. Em relação ao mesmo período do ano passado, são determinantes para a queda deste indicador, as reduções das perspectivas de contratação de funcionários (-24,2%) e de realização de investimentos (-12,4%), que permanece em nível pessimista deste agosto do ano passado. O indicador de percepção em relação à adequação do nível de estoques, por sua vez, teve aumento de 1%, ficando em nível muito próximo da neutralidade (101 pontos). Na média em 12 meses, o indicador apresentou queda, passando dos 107 pontos em janeiro deste ano, para 105,8 pontos em fevereiro.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais