Consumidor brasileiro estima que computador básico custe, em média, até R$ 2 mil

Pesquisa elaborada pela Intel, fabricante mundial de processadores e outros componentes para computadores, mostra que a percepção do consumidor brasileiro quanto ao preço de um computador básico supõe uma…

Pesquisa elaborada pela Intel, fabricante mundial de processadores e outros componentes para computadores, mostra que a percepção do consumidor brasileiro quanto ao preço de um computador básico supõe uma média de R$ 1.737. Como computador “básico”, foi definido um equipamento capaz de desempenhar as funções mais importantes, com acesso à internet e um sistema operacional instalado.

O estudo considera, ainda, a noção de preço que consumidores de diferentes classes sociais têm com relação aos computadores. Em todas as classes, a maioria supõe que o preço de um modelo básico, apenas com as funções essenciais, fique entre R$ 1.001 e R$ 2.000: 53% na classe A, 57% na classe B, 60% na C e 57% na D. No total, 58% dos entrevistados na pesquisa acreditam que os computadores mais simples estão nessa faixa de preço.

Renda reflete percepção
Os entrevistados de menor renda são a maioria entre os que estimam o preço do computador básico até R$ 1.000. Nas classes C e D, essa valor é a opinião de 22% e 23%, respectivamente, dos consumidores. Os percentuais de consumidores das classes A e B a estimar um preço abaixo de R$ 1.000 para a máquina em questão são 16% e 18%, respectivamente.

O resultado inverte quando a estimativa passa a ser de que computadores mais simples custem entre R$ 2.001 e R$ 3.000. Na classe A, 25% dos consumidores têm essa percepção do preço, enquanto que na classe B, a quantidade é de 19%. Nas classes C e D, 15% e 18% dos participantes da pesquisa, respectivamente, ficam com essa faixa de preço como suposição.

Portáteis
Avaliação semelhante foi feita com o preço de notebooks. Na média, os entrevistados acreditam que um portátil básico, com internet e sistema operacional, custe R$ 2.646. As maiores porcentagens de percepção de preço ficaram nos intervalos entre R$ 2.001 e R$ 3.000 e entre R$ 3.001 e R$ 4.000.

A percepção de preço na faixa de R$ 2.001 a R$ 3.000 apresenta uma distribuição homogênea entre as classes, e compreende a maioria dos consumidores: classe A (39%), classe B (39%), classe C (38%) e classe D (31%).

Outra grande parcela de entrevistados acredita que o preço de notebooks está entre R$ 1.001 e R$ 2.000: 35% da classe A, 30% da B, 31% da C e 29% da D. Menos de 10% em cada classe supõe que um notebook básico custe entre R$ 4.001 e R$ 5.000, e menos de 5% imagina um preço superior a R$ 5.000.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre recebe prêmio da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Funcionamento do comércio no feriado de Tiradentes: saiba como será

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais