Consumo das famílias fica estável em janeiro

A Intenção de Consumo das Famílias fechou janeiro com alta de 0,2% (em 119,7 pontos), mostrando estabilidade na comparação com dezembro do ano passado e interrompendo sequência de três quedas…

A Intenção de Consumo das Famílias fechou janeiro com alta de 0,2% (em 119,7 pontos), mostrando estabilidade na comparação com dezembro do ano passado e interrompendo sequência de três quedas consecutivas.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (21) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Apesar da estabilidade, o indicador fecha com queda de 8,6%, quando a comparação se dá com janeiro de 2014.

Com o resultado de janeiro, o índice permanece acima da zona de indiferença (100 pontos), portanto indicando ainda nível favorável. Segundo a CNC, o nível de confiança das famílias com renda abaixo de dez salários mínimos mostrou queda de 0,3% na comparação mensal. Já as famílias com renda acima de dez salários mínimos apresentaram elevação de 1,8%. O índice das famílias mais ricas está em 122 pontos, e o das demais, em 119,3 pontos.

Ainda na comparação janeiro de 2015 com dezembro de 2014, os dados regionais revelaram que a maior retração ocorreu na Região Sul, onde a queda chegou a 3,5%, e a melhor avaliação, na Região Sudeste, com aumento de 1,8%.

Depois de números predominantes desfavoráveis em dezembro de 2014, no mês de janeiro o quadro mostrou alguma melhoria, com alguns componentes da pesquisa se destacando nos resultados do mês.

O componente Nível de Consumo Atual, por exemplo, apresentou elevação de 1,9% em relação ao mês anterior, embora tenha fechado com queda de 9,5% comparativamente ao mesmo período do ano passado. “O elevado custo do crédito e o alto nível de endividamento ainda são os motivadores do desaquecimento na intenção de compras a prazo”, avaliou a CNC.

A confederação cita, por exemplo, o componente Acesso ao Crédito que registrou novamente quedas mensais e anuais de 0,6% e 9,2%, respectivamente, atingindo o menor nível da série, com 123,4 pontos, mesmo patamar visto em novembro de 2014.

Também o item Momento para Duráveis apresentou queda de 0,9% na comparação mensal. Em relação a 2014, o componente mostrou retração de 12%. Neste mês, ele obteve o menor valor da série histórica, com 97,2 pontos – abaixo, portanto, da zona de indiferença.

O item Perspectiva de Consumo registrou queda de 2,8% em relação a dezembro. Na comparação anual, o índice apresentou queda de 14,2% e atingiu o menor valor da série histórica, com 121,9 pontos. Na base de comparação mensal, as famílias com renda de até dez salários mínimos mostraram queda de 3,4%, e aquelas com renda acima de dez salários, queda de 0,3%.
Fonte: Agência Brasil

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais