Cooperativismo em alta

Entrevista para a Revista Conexão Varejo nº55, com Ademar Schardong, presidente executivo do Sicredi.

A consagração do modelo cooperativo foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) que declarou 2012 o Ano Internacional das Cooperativas. Fazendo um balanço desse ano especial, confira a entrevista com uma personalidade referência no assunto.

De acordo com a Aliança Cooperativa Internacional (ACI), o setor cooperativo gera mais de 100 milhões de empregos e está presente nos cinco continentes. A que o Sr. atribui a crescente expansão desse modelo de economia e gestão?
As cooperativas de crédito têm se firmado no mercado financeiro como um sistema mais inclusivo, participativo e justo, atuando como instrumento de organização econômica da sociedade. Elas promovem o desenvolvimento econômico e social de suas regiões e comunidades, independente do tamanho da cidade onde estão inseridas.

É uma forma diferente de fazer negócios, na qual os associados desfrutam dos resultados gerados de forma coletiva. Nesse contexto, o cooperativismo de crédito fortalece a economia local, a democratização do crédito e a desconcentração de renda. E contribui para a construção de um mundo melhor. Promovendo um sistema de trabalho integrado e solidário, o modelo se sobrepõe ao individualismo e à competição, irrigando a economia de forma generosa e multiplicadora. Ele foi o principal propulsor do crescimento do movimento cooperativo em todo o mundo. Para isso, o sistema possui particularidades embasadas em valores sólidos como a adesão voluntária, a solidariedade, a união, a colaboração, o interesse coletivo e o compromisso com a comunidade. É o capital social como ferramenta de riqueza e qualidade de vida.

Qual a importância da cooperação para o crescimento do país?
A cooperação é fundamental para o crescimento não só do país. Entre os valores que asseguram a consolidação do modelo cooperativo, destaque para a ajuda mútua, a solidariedade, a cooperação, e princípios que incluem a adesão livre e gestão democrática. Outros pontos fortes que contribuem para o fortalecimento do setor consistem na participação econômica dos membros, autonomia e independência; educação, formação e informação; intercooperação e interesse pela comunidade. As cooperativas asseguram a manutenção de empregos nas comunidades e a oferta de produtos e serviços adequados às necessidades locais. Esta é a nossa crença, gente que coopera cresce. Recentemente, lançamos um movimento de comunicação destacando que uma instituição financeira, assim como a vida, é melhor quando é cooperativa.

Nunca se falou tanto sobre o tema do cooperativismo. Ele está presente até na conjuntura das redes sociais, nos sites de compras coletivas, numa forma mais coletiva de organização? Porque o Sr. acha que isso está acontecendo?
Mais do que nunca, a humanidade tem percebido a necessidade de construir e zelar por uma sociedade de pessoas; cujos resultados são distribuídos na proporção das operações; que prima pela organização econômica das pessoas; que respeita a vocação econômica das regiões e que atua a partir das demandas da sociedade para a sociedade. Uma cooperativa de crédito é uma sociedade de pessoas que presta serviços com a finalidade de atender às demandas dos associados e agregar renda às suas atividades. Nela, o resultado é chamado de sobra/perda e num banco é chamado de lucro/prejuízo. As sobras são proporcionalmente distribuídas levando em conta o valor das operações que cada associado praticou durante o ano. Assim, as decisões são compartilhadas e o que a maioria decide pelo voto é realizado pela sociedade. As perspectivas para as cooperativas de crédito no Brasil são de crescimento. Hoje, elas têm 3% de participação no mercado financeiro e lá fora esse percentual chega a 22%.

Como o cooperativismo contribui com as comunidades onde está inserido?
As cooperativas de crédito são instituições financeiras locais e revertem os recursos financeiros na sua área de atuação, em benefício dos associados e da comunidade. Buscam também o máximo de envolvimento de seus associados, os donos do negócio. Seus benefícios são percebidos, especialmente, na redução da pobreza, na geração de emprego e na integração social.

Como o Sicredi mantém sua identidade no País e essa relação duradoura com seu público?
O desenvolvimento do Sicredi é decorrente do seu posicionamento: Ser Cooperativa. As sociedades cooperativas, com suas características societárias, exercem um papel excepcional na organização econômica da sociedade em países democráticos e de economia sustentada pelos princípios da livre iniciativa. O Sicredi é um exemplo de cooperação. São 113 cooperativas buscando um objetivo comum, crescer e gerar crescimento. A atuação em sistema permite ganhos de escala e aumenta o potencial das cooperativas de crédito para exercer a atividade no mercado onde estão presentes grandes conglomerados financeiros.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais