Copa é oportunidade para investir em infraestrutura e capacitação de mão de obra

SÃO PAULO – A Copa do Mundo que será realizada no Brasil em 2014 é uma oportunidade para investir em infraestrutura, logística e capacitação. É o que afirmam os especialistas que se reuniram na…

SÃO PAULO – A Copa do Mundo que será realizada no Brasil em 2014 é uma oportunidade para investir em infraestrutura, logística e capacitação. É o que afirmam os especialistas que se reuniram na Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) na segunda-feira (8). Durante o encontro, os participantes declararam que os problemas de infraestrutura não devem ser resolvidos somente para a Copa do Mundo, mas para a população. “É preciso abandonar aquela visão tradicional que liga a Copa somente ao futebol e à construção de estádios. A Copa precisa ser encarada de forma mais profunda e complexa”, disse o presidente do Conselho de Desenvolvimento das Cidades da Fecomercio, Josef Barat.

Problemas

Entre os problemas apontados, estão os aeroportos, a capacitação de mão de obra e a segurança pública. No caso dos aeroportos, a principal dificuldade indicada foi a falta de planejamento. De acordo com o diretor do Centro do Comércio do Estado de São Paulo, João Alberto Manaus, em janeiro deste ano, as empresas aéreas disponibilizaram 21 mil assentos, mas a população demandou 31 mil. Nos últimos 20 anos, o tráfego de passageiros domésticos cresceu, em média, 7,6% ao ano, taxa que não foi acompanhada pelo desenvolvimento da infraestrutura do setor. Os participantes do evento acreditam que existem duas saídas para a falta de investimento no setor: a privatização ou a abertura deste para a livre concorrência.

Mão de obra

Em relação à mão de obra, os especialistas se mostraram menos preocupados com a capacitação de trabalhadores e de voluntários para atender os turistas. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Senac, nas 12 cidades-sede dos jogos e nas outras 19 que servirão para alojar as comissões, imprensa e mesmo os turistas, não há a necessidade de treinar pessoas para profissões que antes não eram praticadas. “O que existe é a necessidade de os trabalhadores adquirirem novas habilidades e conhecimentos”, esclarece o diretor de Planejamento e Comunicação do Senac, Jacinto Barbosa Correa.

Segurança pública

Sobre a segurança pública, a Fecomercio afirmou que o setor está evoluindo, já que tanto a Polícia Civil quanto a Militar estão modernizando seus equipamentos de vigilância e serviços de atendimento para poder resolver qualquer situação que possa surgir durante os jogos do mundial. Segundo o presidente do Comitê de gestão da Polícia Civil para a Copa 2014, delegado Adilson Vieira Pinto, a Copa da África teve a participação de 40 mil policiais e a do Brasil vai contar com 144 mil trabalhando somente no Estado de São Paulo.

Legado da Copa

Para os especialistas, o legado que ficará para a população após a realização da Copa é a maior vantagem de realizar a competição. “Os ganhos de produtividade com a mão de obra capacitada para trabalhar durante o evento é um dos exemplos de investimentos que não se perdem com o fim da competição”, finaliza coordenador técnico da Área Educacional de Turismo, Lazer e Eventos do Senac São Paulo, Marcelo Calado.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais