Economizar é principal motivador de compras online no Brasil, aponta pesquisa

América Latina está mais preocupada com segurança do que população brasileira na internet

Um estudo sobre o consumo de 15 categorias de produtos e serviços mostrou que o Brasil está no mesmo patamar que a América Latina. Enquanto o país apresenta média de compra de 24%, a região tem 26%. Das 15 categorias (moda e vestimenta, cuidado pessoal, comidas e bebidas, limpeza, medicamentos OTC – que não necessitam prescrição médica -, eletrônicos, celulares, eletrodomésticos, serviços financeiros, de saúde, de restaurantes, automóveis, brinquedos, artigos do lar, construção e casa e jardim), as mais adquiridas pelos brasileiros foram as de brinquedos (42%), moda e vestimenta (39%), serviços financeiros (37%), eletrônicos (36%) e eletrodomésticos (34%).

A pesquisa da GfK analisou, principalmente, o comportamento do consumidor relacionado à compra, seus pontos de contato em ambientes tradicionais e digitais, questões relacionadas ao pagamento mobile, além de abordar temas especiais, como mídias sociais, diferença entre gerações e os hábitos dos consumidores que ditam tendência e com alto poder de influência, o que os torna estratégicos para o varejo.

Na América Latina, as categorias mais fortes são de eletrônicos (44%), serviços financeiros (40%), eletrodomésticos (37%) e moda e vestimenta (37%). Quando as categorias são analisadas de acordo com as regiões do mundo, existe uma grande diferença dos itens adquiridos por meio do canal OMNI. Enquanto na Ásia/Pacífico as categorias beleza e cuidados pessoais (50%), comida e bebida (44%) e produtos de limpeza (37%) são bastante fortes, na América do Norte os compradores adquirem, principalmente, eletrônicos (62%), eletrodomésticos (53%), automotivos (53%) e celulares (53%).

De acordo com os entrevistados no Brasil, entre as vantagens das compras on-line em relação à física, estão economia, mencionado por 61%, melhores condições de pagamento, 45%, além da velocidade da compra, para 42%.

Na América Latina a principal barreira para a compra on-line é a falta de segurança, enquanto no Brasil a questão de segurança não é tão relevante quando comparada a outros países latino-americanos. Para os 40% dos brasileiros entrevistados, a compra on-line é considerada segura, contra apenas 24% na Argentina e 27% no México e na Colômbia. Por conta disso, a compra exclusivamente online no Brasil (15%) é o dobro dos demais países da região.

Sobre os equipamentos mais utilizados nas compras online no Brasil, os PCs em casa estão na liderança com 91%, seguidos por PCs no trabalho (36%), smartphones (31%) e tablets (17%).

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais