Entidades alertam para fraude na Black Friday

Site Reclame Aqui aponta que, em 2014, usuários relataram maquiagem de preços e dificuldades de concluir a compra 
 

Site Reclame Aqui aponta que, em 2014, usuários relataram maquiagem de preços e dificuldades de concluir a compra 

As pessoas que quiserem aproveitar a Black Friday, no próximo dia 27 de novembro, já sabem, depois de experiências de anos anteriores, que é preciso atenção para não serem enganadas por falsas promoções. Segundo o site Reclame Aqui, em 2014, consumidores apontaram maquiagem de preços e dificuldades de continuar a compra depois que o produto foi adicionado ao carrinho da loja virtual, além de problemas como lentidão nos sites e preços de fretes que anulavam grande parte dos descontos.

Para este ano, o site pretende ter selos para destacar as empresas que se saem bem. Elas poderão ser classificadas como ótimo, bom, RA1000 (excelente) com base na reputação obtida junto aos consumidores nos últimos seis meses. Com isso, espera ajudar a diminuir problemas que fizeram com que a Black Friday ficasse conhecida por alguns consumidores por ter preços pela “metade do dobro”.

“A empresa tem que informar ao consumidor que o estoque não é infinito e que está esgotado”, diz o presidente do Reclame Aqui, Maurício Vargas, sobre o tipo de medida que as companhias devem tomar para receber o selo. Durante o evento, o site terá 30 pessoas de plantão, 15 delas para verificar reclamações. O Procon-SP também está atento e fará uma fiscalização para inibir e detectar o fenômeno chamado de Black Fraude, em que grandes descontos são dados em relação a preços recentemente majorados.

“Essa é uma prática abusiva contra o consumidor. Estamos monitorando preços de produtos em alguns sites e fornecedores físicos há mais de um mês e meio. Ao todo, serão quase três meses de monitoramento”, afirma a diretora do Procon-SP, Ivete Maria Ribeiro. No ano passado, a instituição registrou 1.356 reclamações durante a data, um aumento de 111,5% em relação a 2013, quando 641 queixas foram ouvidas. 

A dica é que os consumidores pesquisem desde já os preços dos produtos que pretendem adquirir no dia de descontos. Neste período e também durante a Black Friday, é aconselhável imprimir as imagens dos descontos. “É importante imprimir, em primeiro lugar, para que o consumidor possa informar o Procon se houver uma fraude de desconto. Além disso, toda oferta no ar deve ser cumprida durante o dia todo, e a imagem pode comprovar que isso foi desrespeitado”, diz a diretora da entidade. 

Outros cuidados necessários valem para qualquer compra pela internet. É o caso do uso de um bom sistema antivírus, de não utilizar computadores públicos para compras e de checar a reputação dos sites escolhidos. Pesquisa realizada pela e-Bit/Buscapé aponta que 80% dos consumidores on-line pretendem comprar durante a Black Friday, que está na sua sexta edição. Os produtos das categorias de eletrônicos, informática, eletrodomésticos e telefonia devem ser os mais procurados. 

Apesar do receio de alguns consumidores com a maquiagem dos preços, levantamento realizado pelo Busca Descontos, responsável pela organização da BlackFriday.com.br, mostra que 74,76% das pessoas que compraram na Black Friday 2014 afirmaram estar satisfeitos com a última edição do evento. A pesquisa foi feita em outubro com 6.926 pessoas. Ainda de acordo com o estudo, somente 15,95% dos entrevistados disse estar insatisfeito com a experiência de compra no ano anterior, enquanto 9,28% disseram estar muito insatisfeitos.

Recomendações para os consumidores se protegerem nas compras on-line: 

1- Faça uma lista de compras com tudo que você pretende comprar. Isso ajuda a evitar compras por impulso.
2- Pesquise com antecedência os preços e imprima as imagens para ter provas caso haja uma fraude nos descontos ou um aumento dos preços no dia da promoção.
3- No caso de dúvidas ou problemas, vale ligar para órgãos de defesa do consumidor.
4- As compras pela internet requerem uma série de cuidados: uso de computador pessoal com antivírus e checagem da reputação dos sites, por exemplo.
5- O consumidor deve olhar sempre o valor do frete de suas compras, inclusive para poder comparar os preços com os de lojas físicas.
6- Vale sempre lembrar que todas as normas do Código de Defesa do Consumidor valem durante a Black Friday. O cliente que se sentir lesado pode acionar a Justiça e os órgãos de defesa do consumidor

Fonte: Jornal do Comércio

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais