Entra em vigor taxa de juros menor para empresas afetadas pela crise internacional

Entrou em vigor a nova taxa de juros para empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) por meio do Programa Revitaliza, destinado a ajudar empresas de setores…

Entrou em vigor a nova taxa de juros para empréstimos concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) por meio do Programa Revitaliza, destinado a ajudar empresas de setores afetados pela crise econômica internacional. A taxa caiu de 9% para 8% ao ano, conforme decisão tomada no último dia (5) pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e publicada nesta segunda-feira (9) no Diário Oficial da União.

A medida beneficia empresas dos seguintes setores: frutas, pedras ornamentais, calçados, moveleiro, têxtil, fertilizantes e produtos cerâmicos. A indústria de bens de capital também é beneficiada pela nova taxa, com exceção das fabricantes de caminhões, ônibus, embarcações, aeronaves, vagões e locomotivas, tratores, colheitadeiras e máquinas rodoviárias.

Além disso, a medida também contempla a indústria de transformação de plásticos, fabricantes de material eletrônico e de comunicações, peças e assessórios para veículos, brinquedos, instrumentos médicos e odontológicos, serviços de tecnologia da informação e softwares. O programa dispõe de R$ 6,7 bilhões em linhas de crédito para 20 setores da economia afetados pela crise internacional. Os financiamentos podem ser usados para exportações e investimentos. O limite dos empréstimos é R$ 150 milhões por empresas de cada setor.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre recebe prêmio da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Funcionamento do comércio no feriado de Tiradentes: saiba como será

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais