Especialistas mostram como aumentar lucratividade no e-commerce

Com a intensa competição no setor, a lucratividade no e-commerce depende cada vez mais da capacidade das empresas em ativar novos clientes e estimular a recompra. Esta foi uma das conclusões de especialistas…

Com a intensa competição no setor, a lucratividade no e-commerce depende cada vez mais da capacidade das empresas em ativar novos clientes e estimular a recompra. Esta foi uma das conclusões de especialistas no VTEX Day 2014 realizado em São Paulo. Para isso, os varejistas precisam deixar de encarar o e-Commerce como “tirador de pedidos” para considerá-lo como uma ferramenta de conveniência para o consumidor, defendem.

O evento, promovido pela desenvolvedora de plataformas de comércio eletrônico VTEX, apresentou as principais novidades e tecnologias para aumentar a rentabilidade dos negócios e neste post vamos destacar três que deverão dominar o setor nos próximos anos.

1) Big Data: A integração do e-commerce com uma base de CRM (Costumer Relationship Management), e-mail marketing e publicidade é fundamental para gerar recompra na loja, acredita Alexandre Soncini, vice-presidente da VTEX. Na sua visão, é a base de dados sobre os clientes é hoje o maior ativo do varejo. “Quando acumulamos dados sobre o cliente, mais conhecemos os seus hábitos de compra, assim podemos desenvolver ações personalizadas com maior potencial de conversão”, considera. Estudo do histórico de compras pode ser utilizado para oferecer descontos exclusivos para produtos comprados com mais frequência, por exemplo. Esse tipo de ação enriquece a experiência de compra por valorizar o consumidor.

2) Conhecimento sobre o perfil dos clientes também pode ser usado para aprimorar a experiência de compra durante a navegação no site. Segundo Thiago Doc Luz, sócio-diretor da VTEX, a forma como as pessoas interagem com a loja muda de acordo com sexo, idade, escolaridade, renda e intenção de compra, por isso o layout precisa ser constantemente testado para se encaixar às características do perfil dos seus principais compradores. Nesse aspecto, a Zappos.com continua sendo referência pela facilidade de navegação e busca dos produtos através da combinação de vários filtros. Fotos em destaque e principalmente vídeos tem influenciado cada vez mais a compra por reduzirem a insegurança. “A Zappos aumentou em 30% as suas vendas somente com a inclusão de vídeos sobre o produto”, ressalta Thiago.

3) Omni Channel – Considerado hoje o grande desafio das redes de varejo, o omni channel consistem em integrar, tecnologicamente, as operações de lojas físicas com o e-commerce. Para o vice-CEO da VTEX, Mariano Faria, a união vai abrir uma infinidade de oportunidades de interação com os clientes. Entre outras possibilidades, irá permitir que, assim que entre em uma loja de sapatos, por exemplo, a cliente receba a mensagem do gerente informando que o produto que viu recentemente na internet está em promoção. Ou que a pessoa possa fazer a compra diretamente na vitrine, por meio do seu celular e de códigos de QR Code, e receba o produto diretamente em casa. Segundo Mariano, grandes redes dos EUA e Europa já estão testando o Omni Channel de forma bastante criativa. A rede de farmácias americana CVS já consegue identificar o cliente que comprou mais de cinco vezes e oferece um cartão de fidelidade que pode ser usado tanto nas compras online quanto off-line.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais