Especialistas recomendam os melhores rumos para empreender

A cada dia, 5,1 mil negócios são abertos no Brasil, mas nem todos alcançam o sucesso

Ser o próprio chefe, definir os horários de trabalho ou aumentar a renda: há mais de um motivo para se abrir uma empresa. Apenas no primeiro semestre de 2013, mais de 1 milhão de novos negócios foram criados no país, conforme a Serasa, uma média de 5,1 mil por dia.

A distância entre a vontade de empreender e o sucesso no negócio, entretanto, é grande, e permeada por desafios. Desconhecimento de mercado, falta de noções financeiras e falhas no planejamento costumam arruinar ideias aparentemente infalíveis.

De cada cem empresas criadas no Brasil, 24 fecham as portas antes de completar dois anos, conforme dados do Sebrae.

A grande maioria dos negócios que vão à bancarrota é de micro e pequeno portes, que respondem por 99% do total. Ao encerrar precocemente seu ciclo, muitas vezes arruínam a conta bancária do empreendedor. Mas há formas de reduzir os riscos. Com organização e ajuda de algumas a dicas práticas, o empresário pode conhecer melhor seus concorrentes, calcular o preço mais adequado para seu produto e surpreender o cliente.

Como começar

1 — Considere o que lhe encanta

Uma das principais falhas dos aspirantes a empresários é olhar as cifras em primeiro lugar. Antes de tudo, é preciso levar em conta o tipo de trabalho que dá prazer. Afinal, será necessário dispor de um grande esforço para que a empresa dê certo, e apenas com gosto se consegue tirar um projeto do papel

2 — Em que você é bom?

A escolha do nicho de negócio deve levar em conta as habilidades do empreendedor. Alguém sem experiência com moda terá pouca chance de fazer prosperar uma loja de vestuário, por exemplo. Também é preciso saber até que ponto experiências anteriores podem ser rentabilizadas com um novo negócio.

3 — Conheça clientes e concorrentes

Um bom estudo de mercado é como um mapa: mostra para onde se pode avançar e o melhor caminho. Ao conhecer concorrentes, será possível saber como superá-los, seja em preço, seja em qualidade ou atendimento; ao conhecer os potenciais clientes, ficará claro o que eles procuram e se há espaço para uma nova empresa no setor.

4 — Saiba aonde quer chegar

Depois de conhecer o mercado, é hora de fazer o plano de ação, ou seja, compreender seus diferenciais, reconhecer suas fraquezas e elaborar um produto capaz de reunir o que a empresa terá de melhor. Nesta etapa, também será definido o orçamento e listados os valores da companhia. Há ferramentas na internet e oferecidas pelo Sebrae que auxiliam nesta etapa.

5 — Saiba aonde buscar o dinheiro

Um plano de negócio bem definido ajuda para captar financiamento ou sócios. No início da operação, pode-se combinar sociedade com fornecedores, comprometendo-se a pagar quando começar a faturar. Mas é preciso ter cuidado para não comprometer grande fatia da receita com compromissos fiscais.

6 — Avalie, avalie e avalie

As estratégias e o plano de ação existem para dar início à empresa, e não para permanecerem estáticos. A cada seis meses ou um ano, é importante rever pontos como demanda de mercado, oportunidade de expansão, investimentos em marketing e analisar o fluxo financeiro.

Como crescer

1 — Não espere o cliente para crescer

Muitos empresários são pegos de surpresa quando há uma repentina alta na demanda de clientes. Sem estrutura ou preparo, perdem a chance de ampliar sua carteira. O crescimento da empresa, incluindo treinamento, compra de computadores ou estoques, deve ocorrer de forma a se antecipar à procura pelos serviços.

2 — Seus funcionários pensam como você?

Conforme amplia o número de colaboradores, o empreendedor vê crescer também a necessidade de mostrar aos empregados quais os princípios da empresa, onde se quer chegar, e quais são os diferenciais. Capacitação e treinamento ajudam a alinhar a equipe ao planejamento.

3 — Verifique se está no caminho certo

A cada período, em geral em momentos em que o mercado se estabiliza, cabe ao empresário analisar se o planejamento estratégico e o plano de ação da empresa estão sendo seguidos. Muitos empreendedores se acostumam a agir por instinto após o início do negócio, deixando de lado seus princípios mais básicos. Isso é perigoso.

4 — Use e abuse da calculadora

Ao planejar uma expansão, lançar um novo produto ou conquistar novos clientes ou passar por qualquer outra mudança que afete seu caixa, refaça as contas de sua empresa, de forma a saber o impacto financeiro no balanço. Um erro habitual é não se dar conta que a margem de lucro está se esvaindo.

5 — Copie o que é bom

Não deixe de estudar seus melhores concorrentes. Saiba o que fazem de diferente, o que têm de especial no seu produto, com qual margem de lucro trabalha e onde eles querem chegar. E então, veja se é o caso de trazer alguma ideia para seu negócio.

6 — Gestão do início ao fim

Saber como funciona cada departamento de sua empresa, entender o que pode ser melhorado nos processos mais corriqueiros e detectar os erros e acertos do dia a dia pode ser a diferença entre se manter competitivo e fechar as portas do negócio. Portanto, pense com cabeça de gestor.

Veja também

    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 02/03 A 08/03

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Sindilojas POA realiza mais um Feirão de Empregos

    Veja mais
    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais