Fecomércio-RS disponibiliza Impostômetro com dados do Rio Grande do Sul e Brasil

A partir de agora, os gaúchos têm um canal para conhecer a realidade da tributação sobre a atividade econômica do Rio Grande do Sul e do Brasil.

A partir de agora, os gaúchos têm um canal para conhecer a realidade da tributação sobre a atividade econômica do Rio Grande do Sul e do Brasil. A Fecomércio-RS disponibilizou em seu site http://impostometro.fecomercio-rs.org.br/ o Impostômetro, ferramenta que tem o objetivo de informar  a população o quanto é pago em impostos todos os anos.

Além de dois contadores que se alteram a cada segundo – um para os números do Brasil e outro para os dados do Rio Grande do Sul -, o Impostômetro traz ainda a efetiva participação dos entes federativos (União, Estados e Municípios) na arrecadação total de tributos, bem como a metodologia utilizada na coleta das informações.

Segundo o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, a ferramenta se torna essencial na medida em que um dos maiores entraves para o desenvolvimento empresarial é o excesso de tributos que recai direta e indiretamente sobre os cidadãos brasileiros. Em função disso, uma das principais bandeiras da entidade é a racionalização dos impostos por meio de uma urgente reforma do sistema tributário que permita o crescimento econômico do Estado e do País. “Essa ferramenta pretende ajudar na conscientização de empresários e da sociedade como um todo sobre a alta carga tributária vigente, de forma a incentivá-los a cobrar dos governantes uma aplicação correta desses valores”, afirmou Bohn.

O Impostômetro disponível no site da Fecomércio-RS é mais uma iniciativa da entidade para chamar a atenção sobre o tema. Ele se junta à campanha ‘Basta de Tanto Imposto!’ deflagrada no ano passado, contra o aumento da alíquota do ICMS no Rio Grande do Sul.

A ferramenta

O Impostômetro considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária. Para o levantamento das arrecadações federais a base de dados utilizada é a Receita Federal do Brasil, Secretaria do Tesouro Nacional, Caixa Econômica Federal, Tribunal de Contas da União, e IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. As receitas dos Estados e do Distrito Federal são apuradas com base nos dados do CONFAZ – Conselho Nacional de Política Fazendária, das Secretarias Estaduais de Fazenda, Tribunais de Contas dos Estados e Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. As arrecadações municipais são obtidas através dos dados da Secretaria do Tesouro Nacional, dos Municípios que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal e dos Tribunais de Contas dos Estados.

 

Fonte: Fecomércio-RS

Veja também

    PesquisaNoticias

    Na comparação com o Dia dos Namorados de 2023, 17% dos lojistas dizem ter vendid...

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra no Centro da capital

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Créditos do BNDES: empresário, você tem acesso a este recurso

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Sondagem do Sindilojas POA prevê Dia dos Namorados tímido para o comércio na ca...

    Veja mais