Fecomércio-RS disponibiliza Impostômetro com dados do Rio Grande do Sul e Brasil

A partir de agora, os gaúchos têm um canal para conhecer a realidade da tributação sobre a atividade econômica do Rio Grande do Sul e do Brasil.

A partir de agora, os gaúchos têm um canal para conhecer a realidade da tributação sobre a atividade econômica do Rio Grande do Sul e do Brasil. A Fecomércio-RS disponibilizou em seu site http://impostometro.fecomercio-rs.org.br/ o Impostômetro, ferramenta que tem o objetivo de informar  a população o quanto é pago em impostos todos os anos.

Além de dois contadores que se alteram a cada segundo – um para os números do Brasil e outro para os dados do Rio Grande do Sul -, o Impostômetro traz ainda a efetiva participação dos entes federativos (União, Estados e Municípios) na arrecadação total de tributos, bem como a metodologia utilizada na coleta das informações.

Segundo o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, a ferramenta se torna essencial na medida em que um dos maiores entraves para o desenvolvimento empresarial é o excesso de tributos que recai direta e indiretamente sobre os cidadãos brasileiros. Em função disso, uma das principais bandeiras da entidade é a racionalização dos impostos por meio de uma urgente reforma do sistema tributário que permita o crescimento econômico do Estado e do País. “Essa ferramenta pretende ajudar na conscientização de empresários e da sociedade como um todo sobre a alta carga tributária vigente, de forma a incentivá-los a cobrar dos governantes uma aplicação correta desses valores”, afirmou Bohn.

O Impostômetro disponível no site da Fecomércio-RS é mais uma iniciativa da entidade para chamar a atenção sobre o tema. Ele se junta à campanha ‘Basta de Tanto Imposto!’ deflagrada no ano passado, contra o aumento da alíquota do ICMS no Rio Grande do Sul.

A ferramenta

O Impostômetro considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária. Para o levantamento das arrecadações federais a base de dados utilizada é a Receita Federal do Brasil, Secretaria do Tesouro Nacional, Caixa Econômica Federal, Tribunal de Contas da União, e IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. As receitas dos Estados e do Distrito Federal são apuradas com base nos dados do CONFAZ – Conselho Nacional de Política Fazendária, das Secretarias Estaduais de Fazenda, Tribunais de Contas dos Estados e Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. As arrecadações municipais são obtidas através dos dados da Secretaria do Tesouro Nacional, dos Municípios que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal e dos Tribunais de Contas dos Estados.

 

Fonte: Fecomércio-RS

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais