FEDC e Procon/RS convidam para reunião sobre a Lei da Trasparência Fiscal

O Conselho Estadual de Defesa do Consumidor – Cedecon, Fórum Latino Americano de Defesa do Consumidor – FEDC e Procon/RS convidam a todos para a Reunião Plenária a ser realizada excepcionalmente dia…

O Conselho Estadual de Defesa do Consumidor – Cedecon, Fórum Latino Americano de Defesa do Consumidor – FEDC e Procon/RS convidam a todos para a Reunião Plenária a ser realizada excepcionalmente dia 29/6/15, das 9h30 às 12h, no Auditório do Procon/RS, localizado na Rua Sete de Setembro, 723/4º andar – Centro, em Porto Alegre (fone: (51) 32876223), com apresentação e discussão sobre a Lei da Nota Fiscal.

De Olho no Imposto

Uma Radiografia dos 30 meses de vigência da Lei da Transparência Fiscal

A lei 12.741 de 8 de dezembro de 2012, conhecida como a “Lei da Transparência Fiscal”, dispõe sobre as medidas de esclarecimento ao consumidor, de que trata o § 5º do artigo 150 da Constituição Federal de 1988, e altera o inc. III do art. 6º e o inciso IV do art. 106 da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990 (Código de Defesa do Consumidor).

De acordo com o art. 1º da Lei 12.741, toda Nota Fiscal emitida por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias e serviços, em todo território nacional, deverá informar o valor aproximado correspondente à totalidade dos tributos federais, estaduais e municipais, cuja incidência influi na formação dos respectivos preços de venda. Ainda, segundo o § 5º do art. 1º, os tributos que deverão ser computados são os seguintes: a) ICMS, b) ISS, c) IPI, d) Cofins, e) Pis/Pasep, f) CIDE Combustíveis, g) IOF e, f) Impostos sobre importação e encargos sociais, quando fizerem parte do preço de venda ao consumidor.

Passados quase 30 meses da sua vigência, o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) traz um cenário com o nível de convergência (compliance) das empresas obrigadas à submissão dos dispositivos da Lei 12.741. Os números registrados no Banco de Dados pelo IBPT demonstram que a adesão à lei 12.741/12 ainda é bastante incipiente e desafiadora se considerarmos que a aplicação de multas se dá a partir de 12 meses contados da sua vigência.

De acordo com a Tabela 1 (imagem abaixo), das mais de 17 milhões de empresas com registro na Receita Federal do Brasil (RFB) e, após a retirada das empresas desobrigadas (associações, órgãos públicos, condomínios, etc), restam aproximadamente 10 milhões de empresas no universo de empresas que deverão se adequar à Lei da Transparência Fiscal. Dessas mais de 10 milhões de empresas obrigadas, somente 25,6% (2,56 milhões) encontram-se aptas segundo os registros do IBPT. Portanto, a tabela 1 revela que temos a maioria absoluta de empresas (74,4%) atuando na “ilegalidade”, seja por desconhecimento ou omissão. Na média, apenas 1 em cada 4 empresas estão atendendo à Lei 12.741/12.

Adicionalmente, a Lei 12.868 de 2013 alterou a Lei 12.741/2012, que dispõe sobre as medidas de esclarecimento ao consumidor para prever prazo de aplicação das sanções previstas na Lei 8.078, de 11 de setembro de 1990. “Decorrido o prazo de 12 (doze) meses, contado do início de vigência desta Lei, o descumprimento de suas disposições sujeitará o infrator às sanções previstas no Capítulo VII do Título I da Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990.” (Art. 5º, Lei 12.868/13)
Por ser uma lei informativa ao consumidor, quem exercerá a fiscalização é o Procon de cada estado. (Lei 8.078 de 1990). As multas, de acordo com os artigos 56 e 57 da 8.078 de 1990, são:

a. Multa Mínima: R$ 212,82 (200 Ufir)
b. Multa Máxima: R$ 3.192.300,00 (3.000.000 Ufir)

Em resumo, temos de um lado quase 7 milhões de empresas que não cumprem a Lei da Transparência Fiscal e de outro o Procon dos estados sem estrutura para fiscalizar e aplicar multas que poderiam mudar esse cenário.

Debatedor:

Dr. João Eloi Olenike – Presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, Auditor Contábil, Perito, Consultor e Empresário.

Moderadores:

Daniel Amorim Do Amaral Vieira – Presidente do Conselho Estadual de Defesa do Consumidor – Cedecon;
Flávia do Canto Pereira – Diretora Executiva do Procon/RS;
Alcebíades Adil Santini – Presidente do Fórum Latino Americano de Defesa do Consumidor – FEDC.

Inscrições gratuitas

Vagas limitadas

Confirmar pelo e-mail: fedc@terra.com.br e/ou pelos fones: (51) 3223-5981 / 3217-4644 / 9123-5981.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais