Feira do Livro – Livros vão dividir espaço com tapumes

Anda a passos lentos a reforma da Praça da Alfândega, o palco da Feira do Livro de Porto Alegre. Para esta edição do evento, que começa dia 29, a praça estará cercada por tapumes de alumínio.

O…

Anda a passos lentos a reforma da Praça da Alfândega, o palco da Feira do Livro de Porto Alegre. Para esta edição do evento, que começa dia 29, a praça estará cercada por tapumes de alumínio.

O isolamento, porém, deverá sofrer um recuo nos próximos dias, quando se inicia a montagem da feira. Será liberada parte da praça entre a Avenida Sete de Setembro e a Rua Siqueira Campos, permanecendo bloqueado o trecho até a Rua dos Andradas. Foram removidas da área 38 árvores, além da retirada do asfalto da Avenida Sepúlveda para dar lugar a paralelepípedos, já que a proposta é retomar o estilo da praça na década de 30. Também ocorreu a troca de pontos de iluminação. Ainda está em andamento a remodelação dos caminhos dos canteiros internos. Para o coordenador do Projeto Viva o Centro, Glênio Bohrer, o ritmo lento da reforma deve-se, principalmente, ao adiamento de alguns serviços devido à Feira do Livro.

– Após o evento, a obra será acelerada. Algumas etapas ficaram para depois como o prolongamento da Avenida Sepúlveda, que se estenderá até a Sete de Setembro – afirma Bohrer. Segundo ele, alguns problemas deram uma freada à revitalização, que integra o Monumenta, programa de recuperação do patrimônio histórico, parceria entre o governo federal e prefeituras. Um dos entraves foi o rompimento de uma rede de água antiga. Será preciso fazer uma nova licitação para a recuperação da rede. Hoje, os monumentos a Carlos Drummond, a Mario Quintana e ao Barão do Rio Branco, entre outros, estão cobertos. Uma placa na Rua dos Andradas indica o atraso: início da obra em junho de 2009 e conclusão em abril de 2010. A nova expectativa de término das obras é junho de 2011. Para o presidente da Associação dos Moradores do Centro de Porto Alegre, Paulo Guarnieri, o atraso demonstra uma falha no planejamento do projeto. – Já que as obras só começaram há poucos meses, por que o bloqueio não ocorreu depois do evento?– questiona o presidente. Bohrer afirma que, devido à complexidade da revitalização, inevitavelmente as obras coincidiriam com alguma edição da feira. Porém, elas foram programadas conforme o calendário do evento. A área cercada por tapumes será reduzida, não havendo necessidade de diminuir o número de bancas.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais