Futuro da economia depende das alterações políticas que estão por vir

Economista da Fecomércio-RS, Lucas Schifino, falou sobre as perspectivas para o varejo desse ano no Café com Lojistas

Necessidade de definição da situação política e certeza de que a crise vai passar foram algumas das conclusões do economista Lucas Schifino durante a palestra “Perspectivas para o Varejo”, no evento Café com Lojistas, do Sindilojas Porto Alegre, ocorrida na manhã de hoje. Para o profissional da equipe de economia da Fecomércio-RS, essa é a maior crise econômica que o país enfrenta em muitos anos. “A média de queda no PIB entre 2014 e 2015 foi de 8%. A última vez em que o PIB caiu por dois anos consecutivos foi no final da década de 30, época da grande recessão americana”, diz. De acordo com o economista, a crise é resultado de décadas e governos que gastam mais do que o país arrecada, ocasionando uma grande dívida. Além disso, Schifino afirma que, na atual conjuntura, a presidente não tem condições políticas de governar. “Caso o impeachment não ocorra, dificilmente Dilma conseguiria aprovar mudanças na Previdência, por exemplo, que trariam benefícios para a economia”, complementa. Para ele, é difícil fazer previsões, mas ele afirma que neste momento o impeachment pode devolver um pouco a confiança, o que por si só, já beneficia a economia do País.

Entretanto, mesmo que a crise abrande, Schifino aponta que o mercado de trabalho deve ser impactado somente após seis meses. “Quando há dificuldades, o último recurso do empresário é demitir. Assim como, quando a situação melhora um pouco, as empresas levam um tempo até abrirem novas vagas. O mercado tem essa defasagem de tempo em relação à queda ou alta do PIB”, explica Schifino. Essa realidade é ruim para o comércio, pois menos renda circula.

Adaptar-se na crise é fundamental, segundo o palestrante. “Preciso me adaptar, mas a estratégia deve ser perene. Tenho que saber se quero um modelo de negócio focado em margem ou em volume, por exemplo, pois isso define onde vou me instalar”, afirma. Schifino utilizou o exemplo de uma loja que, se pretende vender um produto com maior margem, deve procurar se estabelecer em bairros em que a população tenha maior poder de compra. Além disso, Lucas também salientou a importância de manter a empresa focada no bom atendimento de quem já é cliente. Segundo ele, muitas vezes a venda deixa de acontecer não pela crise, mas pelo atendimento deficitário. Manter uma boa estratégia, a equipe afinada e preocupar-se com a fidelização dos clientes é fundamental. “Não sei quando a crise vai passar, mas é certo que ela vai passar. Todas passam. As empresas que estiverem mais enxutas e preparadas, também voltarão a ter bons resultados quando a crise for embora”, finaliza.

Para ver os dados econômicos apresentados por Lucas Schifino no Café com Lojistas de hoje, acesse o Slideshare do Sindilojas Porto Alegre ou faça download do PDF abaixo.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais