Governo gaúcho libera R$ 1 bi para folha e 13º.

Governo depositará bonificação do funcionalismo entre quarta e sexta-feira e salário de dezembro na última semana do mês

A folha de pagamento de dezembro e o 13º salário irão injetar cerca de R$ 1…

Governo depositará bonificação do funcionalismo entre quarta e sexta-feira e salário de dezembro na última semana do mês

A folha de pagamento de dezembro e o 13º salário irão injetar cerca de R$ 1 bilhão na economia do Rio Grande do Sul em menos de 15 dias. Pelo segundo ano consecutivo, os servidores públicos não precisarão recorrer a empréstimos do Banrisul para receber o salário adicional. Até o dia 20, o governo gaúcho irá depositar R$ 500 milhões para 282 mil matrículas. Já o pagamento do salário deste mês será realizado na última semana do ano.
O pagamento do 13º salário começa na quarta-feira e prossegue nos dias 17 e 18, antes do prazo constitucional, que é 20 de dezembro. No dia 16, recebem todos os servidores do quadro geral, do magistério e os inativos ferroviários, o que corresponde a 68% das matrículas. No dia 17, recebem categorias de nível médio da Segurança e da Saúde e no último dia, 18, os demais servidores.
De acordo com a gorvernadora Yeda Crusius, o Estado fez um grande esforço para antecipar o pagamento sem comprometer as finanças. Com os vencimentos pagos antes do prazo, os servidores terão mais tranquilidade e poderão planejar melhor seus gastos de final de ano. O governo também está auxiliando no aquecimento da economia uma semana antes do Natal.
No ano passado, ao anunciar o déficit zero, a governadora lembrou que, desde 1994, o pagamento do 13º do funcionalismo estadual era feito por meio de antecipações de ICMS do ano seguinte, da venda de ativos, de repasses extraordinários de recursos do governo federal ou de empréstimos do Banrisul. Nos quatro anos anteriores a 2008, o Estado tomou empréstimos de R$ 1,4 bilhão e pagou aproximadamente R$ 150 milhões de juros para honrar o 13º salário.
Os recursos destinados aos servidores estaduais contribuem ainda mais para impulsionar as vendas de final de ano no comércio. No total, a economia gaúcha terá um incremento de R$ 4,5 bilhões com o salário extra pago aos trabalhadores. Os dados são do estudo da assessoria econômica da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS). A primeira parcela do 13º, paga pelas empresas até o dia 30 de novembro, representa 50% do valor bruto do salário do mês de outubro, sem descontos. A segunda parcela, depositada até o dia 20 de dezembro, constitui 50% do salário bruto de dezembro menos os descontos.
O economista da Fecomércio-RS Pedro Ramos explica que esses recursos representam 4,8% do PIB do setor terciário em um ano. “É um volume muito importante para as pessoas, pois movimenta a economia como um todo”, avalia. Segundo Ramos, mesmo aquela parcela do salário utilizada para pagar dívidas acaba tendo retorno em compras, já que muitas pessoas aproveitam a quitação dos débitos para poder buscar novos produtos e serviços.
O estudo da Fecomércio demonstra que os R$ 4,5 bilhões injetados na economia do Estado comprariam mais de 180 mil carros populares ou mais de cinco milhões de geladeiras. Em apartamentos, esse recurso renderia cerca de 60 mil imóveis.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    Noticias

    Matrículas para selecionados no Capacita + POA tem o prazo prorrogado

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais