Horário de verão gera economia de R$ 4 bilhões

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quinta-feira que a edição 2008/2009 do horário de verão, que termina neste sábado à meia-noite, gerou uma economia ao País de aproximadamente R$ 4…

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quinta-feira que a edição 2008/2009 do horário de verão, que termina neste sábado à meia-noite, gerou uma economia ao País de aproximadamente R$ 4 bilhões. Lobão afirmou que em termos de energia, houve uma redução do consumo de 2 mil megawatts (MW) durante o chamado horário de pico, que vai das 18h até as 21h. “Somente no Sudeste, economizamos o equivalente a 65% do consumo do Rio de Janeiro. E no Sul, o equivalente a 85% do consumo de Curitiba (PR)”, afirmou o ministro. O horário de verão teve início à meia-noite do dia 18 de outubro do ano passado e terminará à meia-noite deste sábado, dia 14. Os moradores das regiões Sul e Sudeste e Centro-Oeste do País deverão atrasar seus relógios em uma hora. Lobão reiterou que o Brasil não sofre riscos de um novo apagão. No período, a aplicação do horário de verão na área de concessão da AES Sul, que atende a 118 municípios, apresentou uma redução de 4,6% na demanda, com economia de 63 MW, o equivalente ao consumo instantâneo de um município como São Leopoldo, com 208 mil habitantes. Já o impacto verificado no consumo mensal de energia elétrica foi de 0,5%, representando uma economia de 3.500 MWh (megawatt/hora). Na região de atuação da RGE o horário representará também uma diminuição de 4,8% na demanda por energia.

Veja também

    Noticias

    Pronampe: 30 bi e carência de 2 anos para empreendedores do RS

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Governo do RS atualiza lista com municípios em estado de calamidade e postergaç...

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA e CDL POA promovem ação para limpeza do Centro Histórico da Capital

    Veja mais
    Noticias

    Cartilha Estado de Calamidade: seguros disponíveis e auxílio reconstrução

    Veja mais