Índice de Preços ao Consumidor desacelera para 0,80%

Resultado foi influenciado por perda de força na inflação dos alimentos

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou na segunda prévia de abril, segundo dados…

Resultado foi influenciado por perda de força na inflação dos alimentos

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou na segunda prévia de abril, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 16, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O índice registrou alta 0,80% até a quadrissemana encerrada em 15 de abril, ante taxa de 0,98% apurada no IPC-S anterior, referente à quadrissemana finalizada em 7 de abril. Ainda segundo a FGV, este foi o menor resultado para o indicador desde a quarta semana de fevereiro de 2010, quando a taxa do índice ficou em 0,68%.

O resultado foi influenciado por perda de força na inflação dos alimentos (de 3,11% para 2,36%). Segundo a FGV, nesta classe de despesa houve desaceleração ou deflação em produtos como hortaliças e legumes (de 14,52% para 9,64%), frutas (de 0,70% para -1,07%) e adoçantes (de 4,65% para 2,15%). Das sete classes de despesa usadas para cálculo do indicador, apenas duas apresentaram decréscimos em suas taxas de variação de preços. Além de Alimentação, é o caso de Despesas Diversas (de 0,10% para 0,00%). Esta última foi influenciada por um retorno à deflação nos preços de alimento para animais domésticos (de 0,54% para -0,34%) e de vinho (de 0,00% para -1,30%).

As outras classes de despesa apresentaram aceleração, fim da queda de preços ou deflação menos intensa. É o caso de Habitação (de 0,22% para 0,25%), Vestuário (de -0,12% para 0,45%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,49% para 0,50%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,19% para 0,30%) e transportes (de -0,48% para -0,45%). A FGV informou ainda que, entre os produtos pesquisados para cálculo do IPC-S de até 15 de abril, os aumentos de preços mais intensos foram apurados nos preços de tomate (24,59%), leite tipo longa vida (10,67%) e batata inglesa (12,70%). Já as mais expressivas quedas de preços foram registradas nos preços de álcool combustível (-12,32%), manga (-15%) e gasolina (-0,74%).

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais