Inflação semanal acelera para 0,66% em Porto Alegre

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal da cidade de Porto Alegre (IPC-S) registrou variação de 0,66%, na apuração realizada na terceira semana de maio de 2015. O resultado foi 0,06 ponto percentual…

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal da cidade de Porto Alegre (IPC-S) registrou variação de 0,66%, na apuração realizada na terceira semana de maio de 2015. O resultado foi 0,06 ponto percentual superior ao divulgado na segunda semana de maio, que foi de 0,60%.

Nesta edição, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Habitação e Transportes, cujas taxas passaram de -0,04% para 0,27%, e de -0,30% para 0,00%, respectivamente.

A análise deste resultado mostra que as pressões acima da variação média foram exercidas pelos grupos: Saúde e Cuidados Pessoais; 1,73%, Educação, Leitura e Recreação; 1,52%, Vestuário; 1,05% e Alimentação; 0,72%. Mostra também que se situaram em nível abaixo da variação média os grupos: Despesas Diversas; 0,42%, Habitação; 0,27%, Comunicação; 0,27% e Transportes; 0,00%.

Números nacionais e outras capitais

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) avançou em cinco das sete capitais pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), com destaque para a cidade de Salvador, onde a taxa subiu de 0,92% para 0,95% na semana encerrada no último dia 22. Na média das capitais, o IPC-S subiu de 0,65% para 0,68%.

O IPC-S faz pesquisas em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília. A cidade do Recife manteve a posição da semana imediatamente anterior e registrou a segunda maior alta: subiu de 0,82% para 0,91%. A cidade de São Paulo registrou igualmente elevação da taxa, que passou de 0,6% para 0,69%.

A menor alta foi registrada em Brasília, onde o IPC-S subiu de 0,42% para 0,47%. Belo Horizonte registrou decréscimo: o índice caiu de 0,95% para 0,83%. O índice do Rio de Janeiro também registrou queda de 0,5% para 0,48%. E Brasília de 042% para 0,47%.

O cálculo do IPC-S se baseia em um sistema de coleta quadrissemanal. Apesar de a coleta ser semanal, a apuração das taxas de variação leva em conta a média dos preços coletados nas quatro últimas semanas até a data de fechamento. O IPC-S é uma versão do Índice de Preços ao Consumidor (IPC): mede a variação de preços de um conjunto fixo de bens e serviços componentes de despesas habituais de famílias com nível de renda situado entre um e 33 salários mínimos mensais.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    Noticias

    Matrículas para selecionados no Capacita + POA tem o prazo prorrogado

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais