Itaú-Unibanco elege expansão do crédito como prioridade

Considerada a marca mais valiosa do País segundo a consultoria inglesa Interband, o Itaú começa a analisar os resultados da fusão com o Unibanco, bem como a projetar as estratégias que devem ser adotadas…

Considerada a marca mais valiosa do País segundo a consultoria inglesa Interband, o Itaú começa a analisar os resultados da fusão com o Unibanco, bem como a projetar as estratégias que devem ser adotadas diante do cenário otimista da economia brasileira. Um dos principais segmentos que devem dar continuidade aos trabalhos do banco é intensificar a concessão de crédito, fator apontado como primordial para manter o crescimento rentável e de maneira equilibrada com os avanços econômicos observados nacionalmente.

Entre os segmentos que devem ter reforço na atuação do banco, o crédito imobiliário ganha destaque, conforme dados apresentados no Ciclo Apimec 2010 na semana passada, em Porto Alegre. O vice-presidente do Itaú-Unibanco, Afredo Setubal, prevê que essa linha de financiamento será responsável por uma parcela de 3% a 4% do Produto Interbo Bruto (PIB) brasileiro neste ano, índice ainda considerado modesto pelo dirigente. “Queremos ter mais participação no mercado imobiliário”, revela. Além disso, o foco no financiamento de veículos está nos planos do banco. “Essas são coisas importantes para o crescimento do crédito no mercado brasileiro”, completa. Atualmente, o volume de empréstimos pelo Itaú-Unibanco está na casa dos R$ 296 bilhões.

O superintendente de relações com o investidor da instituição, Geraldo Soares, avalia que o Brasil vai bem, com cenário favorável para o incremento nas operações de crédito para pessoa física. “Para manter a rentabilidade, o Itaú vai ter que se manter focado na expansão da carteira de crédito”, afirma.

Do ponto de vista conjuntural, a expectativa do superintendente é de que a taxa básica de juros se mantenha estável, com a possibilidade de uma pequena manutenção pelo Copom em 2010. A partir do segundo semestre do ano que vem, no entanto, a previsão é que a Selic volte a cair. Para 2011, Soares projeta que o crescimento do PIB sofrerá retração, como resultado da já apontada desaceleração da economia, ficando entre 4,5% e 5%.

Em um período de transição, está sendo executada a migração das agências do Unibanco para o modelo de negócios do Itaú, escolhido como identidade da nova holding pela baixa rejeição à marca dos clientes da primeira instituição. Com isso, desde março, cerca de 150 agências por mês estão adotando a plataforma Itaú, volume que deve ser mantido até o fim de 2010. Além disso, outras 150 agências devem ser construídas neste ano.

Veja também

    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Café com Lojistas apresenta o significado do varejo e dicas do que está em alta ...

    Veja mais
    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais