Juntos, Brasil, Índia e China podem passar desenvolvidos

Relatório da PNUD projeta que, em 2020, a produção das economias desses países pode passar combinado de Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido e Estados Unidos

Em 2020, a produção das economias de Brasil, China e índia pode ultrapassar a produção agregada de Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido e Estados Unidos. A projeção é do relatório do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Humano) sobre o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Muita dessa expansão está sendo guiada por novos negócios e por parcerias em tecnologia, segundo o material.

Na última década, todos os países aceleraram suas realizações em educação, saúde e renda, medidas pelo IDH. Mas, o relatório destaca o que chamou de “ascenção do Sul”: o rápido avanço feito por países grandes como Brasil, China, Índia, Indonésia, África do Sul e Turquia e também por economias menores, como Bangladesh, Chile, Gana, Mauritius, Ruanda e Tunísia.

“O Sul ascendeu com uma escala e rapidez sem precedentes”, afirma o material. China e Índia, por exemplo, dobraram a produção per capita em menos de 20 anos, uma força econômica que afeta uma população maior do que ocorreu na Revolução Industrial.

Em 2050, Brasil, China e Índia, juntos, devem somar 40% da produção mundial em termos de paridade poder de compra. “Durante esses tempos de incerteza, os países do sul estão amparando o crescimento da economia mundial, levantando outras economias em desenvolvimento, reduzindo a pobreza e aumentando a saúde em grande escala”, diz o relatório.

O material afirma que ainda há, na região, grandes desafios e tem muita pobreza, mas a atuação dos países mostra como como políticas pragmáticas e um forte foco no desenvolvimento humano podem “liberar as oportunidades latentes em suas economias, facilitadas pela globalização”.

O relatório alerta que o crescimento econômico sozinho não se traduz automaticamente em progresso no desenvolvimento. O Brasil ocupa a 85ª posição no ranking. A China, a 101ª, e a Índia vem mais atrás, na 136ª. O relatório identificou quatro áreas específicas de foco para o desenvolvimento sustentável. São elas: aumentar a igualdade, possibilitar maior participação dos cidadãos, enfrentar as pressões ambientais e lidar com a mudança demográfica.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais