Lojas precisam aproveitar a internet como canal de relacionamento com o cliente

Pequenos varejistas precisam deixar de perceber a internet como concorrente ao seu negócio. O crescimento das vendas do e-commerce não representa o fim das compras físicas, entretanto, é cada vez mais…

Pequenos varejistas precisam deixar de perceber a internet como concorrente ao seu negócio. O crescimento das vendas do e-commerce não representa o fim das compras físicas, entretanto, é cada vez mais necessário que lojas estejam preparadas para ter no canal on-line uma ferramenta de relacionamento com o cliente. Dados divulgados pela e-bit, empresa de consultoria de varejo on-line, mostram que os consumidores pretendem gastar mais nas compras pela internet nesse último período do ano. Em contrapartida, as informações também reforçam que o varejo tradicional também deve ser mais procurado.

O levantamento indica que o percentual de pessoas que não devem comprar em lojas físicas foi de 26,2%, abaixo do registrado no terceiro trimestre, que apontou 38,2%, e também inferior ao índice alcançado na mesma época do ano passado que foi de 38,8%. “Da mesma forma que ao abrir uma loja o empresário precisa se preocupar com a infra-estrutura a ser disponibilizada para as vendas, precisa buscar a internet para complementar o seu contato, disponibilizando informações que possam reforçar o apelo da loja”, explica o assessor econômico da Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e de Serviços do RS), Carlos Cardoso. Ele destaca que o ramo varejista deveria se inspirar nos serviços, que já tem na ferramenta virtual um elo constante e já consolidado com os clientes.

Outra questão levantada por Cardoso diz respeito à disponibilidade de opções existentes para o ingresso da loja na internet. Para ele, caso o empresário queria manter a internet como canal de vendas, nesse caso será mais caro, pois existe todo um investimento em usabilidade do site, logística para entrega de compras e facilidades de pagamento. Entretanto, quando a questão for apenas manter um canal de relacionamento, até mesmo opções gratuitas são válidas. “É o caso dos blogs. Qualquer estabelecimento tem condições de criar um local com informações minimamente básicas, como endereço, telefone, produtos, preços”, garante.

Esse investimento poderá gerar um retorno maior do que o previsto inicialmente. Uma empresa que deseja apenas ter um site mais tradicional poderá, com o passar do tempo, receber e-mails com sugestões e até mesmo pedidos de compras.

Veja também

    Noticias

    Matrículas para selecionados no Capacita + POA tem o prazo prorrogado

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais