Lojas Renner pretende chegar a 2021 com 408 lojas

Em evento ocorrido ontem na sede das Lojas Renner, em Porto Alegre, para analistas, investidores e imprensa, José Galló, CEO da empresa, apresentou o modelo de negócio da marca e os objetivos futuros. De…

Em evento ocorrido ontem na sede das Lojas Renner, em Porto Alegre, para analistas, investidores e imprensa, José Galló, CEO da empresa, apresentou o modelo de negócio da marca e os objetivos futuros. De acordo com Galló, o público-alvo da Renner continua sendo a mulher das classes A -, B e C+ de 19 a 39 anos. Atualmente a rede tem 236 lojas em operação no País, sendo que a maior concentração delas está na região Sudeste. A meta da empresa é alcançar o ano de 2021 com 408 lojas inauguradas. No final de outubro, o grupo abriu as portas de sua loja 100% sustentável, resultado de investimento de R$ 9 milhões em 4 mil m², localizada no Riomar Shopping Fortaleza, na capital cearense, e concluiu a construção de dois centros de distribuição. O primeiro já está em funcionamento no Rio de Janeiro, enquanto o segundo, em Santa Catarina, deve ser inaugurado em meados do ano que vem. Ambas estruturas têm mais de 50 mil m² e representaram investimentos de R$ 100 milhões cada. Além da marca Renner, o grupo também pretende abrir lojas da YouCom e Camicado. Apenas a YouCom tem potencial para que sejam abertas 300 novas lojas até 2021 e a Camicado, por sua vez, neste mesmo ano deverá estar com 125 lojas inauguradas. Quanto ao público-alvo, apenas a YouCom se diferencia atingindo uma faixa etária um pouco diferente, de 18 a 35 anos.

Segundo o CEO, a estratégia das Lojas Renner de sempre abrirem com novos shoppings se deve ao fato de que se a empresa não participa desde o início, comumente precisa esperar até cinco anos para conseguir entrar. Apesar de 94% das operações estarem em shopping centers, há locais em que existem lojas de rua e essa não é uma restrição dentro da empresa. Em relação ao desenvolvimento de produtos, a organização preocupa-se em representar os estilos de vida mais representativos do mercado em suas marcas. Atualmente a Renner possui dezesseis marcas próprias de vestuário, uma de cosméticos, uma de acessórios e uma de calçados. Possuem uma equipe dedicada a pesquisa de tendências, leitura de desfiles internacionais e nacionais, além do monitoramento de blogs e sites. Cada uma das marcas tem um livro de referências com fotos, objetos, situações que ajudam a compor o lifestyle que se quer representar e, por sua vez, contribuem na construção das coleções. A equipe de visual merchandising é que define como os produtos serão expostos e envia todas as instruções e dicas para os funcionários das lojas.

Os objetivos da empresa para os próximos anos são aumentar o volume de vendas, reduzir o mark down (remarcações) e diluir as despesas, o que será contemplado com a conclusão da construção do Centro de Serviços Compartilhados, que reunirá todas as atividades administrativas. No terceiro trimestre de 2014, a rede faturou R$ 1 bilhão. Em 2013, o desempenho foi de R$ 3,9 bilhões (receita líquida de mercadorias, sem contar os produtos financeiros). No Rio Grande do Sul, onde atua com 26 lojas, o market share da rede é de 10% no segmento de vestuário, nos mercados onde atua.

Tudo isso, segundo Galló, se deve também ao investimento que a companhia faz nas pessoas, na força de trabalho. “Não adianta traçarmos planos e metas se não temos pessoas competentes para executá-los”, disse. O investimento em qualificação chega a 130h per capita e apenas 11% dos líderes são buscados no mercado, já que é priorizada a formação de líderes na própria empresa.

A respeito das expectativas para os próximos meses, Galló é realista, mas não pessimista. “Entendemos que será um ano de uma certa dificuldade, uma vez que estamos, no Brasil, com PIB próximo de zero (com perspectiva de que passe para 1% em 2015). Além disso, a confiança do consumidor está bastante baixa. Mas, o país não vai acabar. Será um ano trabalhoso e certamente o que vai contar será oferecer diferencial para os consumidores. Quem fizer igual ou pior que a concorrência, ficará para trás”, afirma.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais