Microempreendedor, não deixe seu CNPJ ser cancelado

Empresários desta categoria têm até o final de junho para regularizar o pagamento de impostos e o envio da declaração de faturamento

A partir do dia 1º de julho, os microempreendedores individuais (MEI) que não estiverem com suas obrigações fiscais em dia e não tiverem enviado sua declaração anual de faturamento, nos últimos dois anos, terão cancelados seus registros junto ao Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). A medida atinge os chamados MEI “omissos”, conforme Resolução do Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM).

A Lei Geral da Micro e da Pequena Empresa (nº 123/2006) já previa o cancelamento automático da inscrição do MEI, independentemente de notificação, em caso de inadimplência. Mas só em abril deste ano é que o CGSIM regulamentou a medida, por meio da Resolução CGSIM nº 36. Portanto, são considerados inadimplentes os microempreendedores que não entregaram a declaração (DAS-MEI) no período de janeiro de 2014 a junho de 2016.

O MEI é a pessoa que trabalha por conta própria, se legaliza como empresário e pode faturar até R$60 mil por ano. É isento dos tributos federais, mas deve pagar um valor fixo mensal de R$45,00 (comércio ou indústria), R$49,00 (serviços) ou R$ 50,00 (comércio e serviços), destinados à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS.

O MEI que tiver o CNPJ cancelado não poderá reativar o mesmo cadastro e, caso continue exercendo sua atividade econômica, estará voltando para a informalidade e perderá as vantagens desta categoria empresarial, como os benefícios previdenciários, a facilidade na abertura de conta bancária, pedido de empréstimos e emissão de notas fiscais. Caso o ex-titular deseje voltar a ser MEI, terá que se formalizar novamente para receber um novo número de CNPJ.

A gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae Paraíba, Márcia Timotheo, ressalta a importância de pagar as obrigações fiscais em dia, para ter acesso aos benefícios previdenciários. “É importante que o MEI regularize sua situação para não perder o CNPJ e todas as vantagens desta categoria empresarial. O pagamento dos impostos mensais deve ser feito até a data do vencimento para garantir benefícios como licença maternidade e auxílio-doença”, disse.

Como se regularizar
O MEI poderá impedir o cancelamento de inscrição, desde que realize os pagamentos pendentes e entregue as declarações atrasadas até 30 de junho deste ano. Para pagar as contribuições mensais pendentes, o MEI deverá emitir as Guia DAS para pagamento, mas não é possível parcelar a dívida.

Para entregar as declarações anuais atrasadas, o MEI deverá gerar as declarações referentes aos anos em atraso e pagar uma multa. O valor mínimo é de R$ 50,00 por ano em atraso ou de 2% ao mês-calendário ou fração, incidentes sobre o montante dos tributos decorrentes das informações prestadas na declaração, ainda que integralmente pago, limitada a 20%. Caso o pagamento da multa seja feito em até 30 dias depois de gerado o boleto, a multa será reduzida em 50%, totalizando R$ 25,00.

 

Fonte: Administradores

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais