Ministro: Brasil terá smartphones à venda por R$ 200 até o Natal

Ministro Paulo Bernardo pretende que smartphones simples seja vendido a R$ 200 no Brasil

O Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta segunda-feira, em encontro com empresários em São Paulo, que o governo federal planeja uma série de ações para estimular a indústria nacional a produzir aparelhos celulares inteligentes, os chamados smartphones e, com isso, oferecer o produto no mercado nacional a preços mais acessíveis até o final do ano. O objetivo, de acordo com o ministro, é que os consumidores brasileiros possam comprar, já no Natal deste ano, smartphones mais simples a até R$ 200.

Entre as ações previstas está a inclusão dos smartphones na Lei do Bem, que garante menos impostos sobre os equipamentos tecnológicos e inovadores produzidos no Brasil – a legislação hoje já aplicada à produção de computadores pessoais.

“O Brasil está produzindo celulares 2G, quase não está mais produzindo celulares 3G, e não produzimos smartphones. Por uma série de motivos, a nossa base de produção, que era muito importante, nós chegamos a exportar celulares, ficou defasada. Então nosso plano agora é incluir smartphones na Lei do Bem”, disse. “Além disso, nós estamos fazendo acordos com grandes fabricantes nacionais para trazer a tecnologia. (…) Com isso, nós devemos começar a produzir smartphones antes do Natal com isenção de tributo. E com isso, as empresas então falando em vender smartphone com o sistema Android, (…) na faixa de R$ 400. E uns mais simples, que não dá pra baixar aplicativo, mas que dá pra navegar no Facebook, Twitter, essas coisas, na faixa de R$ 200”, disse Paulo Bernardo, durante evento promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide).

Ainda segundo Paulo Bernardo, a Medida Provisória (MP) que apresenta as medidas para estimular a produção dos aparelhos celulares no território brasileiro – entre outros temas – já foi aprovada pelo Congresso e deve ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff nas próximas semanas.

“A MP foi aprovada, ela tramitou no Congresso, foi aprovada no começo de julho e mandada para o governo. Temos um prazo para fazer a sanção e, no ponto específico de smartphone, a presidente falou que vai sancionar”, afirmou.

O ministro das Comunicações também disse que o governo estuda uma forma de diminuir a carga tributária no setor de telefonia móvel e fixa de uma forma geral, e lembrou que, atualmente, cerca de 40% da tarifa paga mensalmente são apenas impostos.

“Pretendemos mexer com a tributação do setor. Nós temos uma tributação altíssima no setor de telecomunicações, mas achamos que podemos mexer nisso e manter a arrecadação, porque os serviços vão se expandir muito. Hoje, em uma fatura de telefone e internet fixa de R$ 100, R$ 36 são impostos. Na tecnologia móvel também é nessa faixa. (…) Então quase 40% do valor pago são tributos, e isso precisa mudar”, afirmou.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais