Nota Técnica Fecomércio-RS: Vendas do varejo surpreendem

Em setembro, conforme a Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada pelo IBGE, o volume de vendas do comércio varejista do Rio Grande do Sul apresentou crescimento de 1,66% em relação a agosto, na série…

Em setembro, conforme a Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada pelo IBGE, o volume de vendas do comércio varejista do Rio Grande do Sul apresentou crescimento de 1,66% em relação a agosto, na série sazonalmente ajustada. Dentre os setores, as maiores altas ficaram por conta do setor Alimentício (3,62%), seguido de outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,43%) e Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (1,38%). Em sentido oposto, dois setores apresentaram queda no volume de vendas: Livros, jornais, revistas e papelaria (-2,09%) e Móveis e eletrodomésticos (-0,28%). Ainda, considerando o varejo ampliado, o setor de Material de construção apresentou crescimento de 1,62%, enquanto o volume de vendas de Veículos, motos, partes e peças caiu 3,95%.

Dentre os fatores que explicam o bom desempenho do comércio, destaque para o aumento da massa salarial, manutenção da confiança do consumidor em patamar elevado e disponibilidade de crédito à taxas de juros menores. De acordo com os dados da Pesquisa Mensal de Emprego, também divulgada pelo IBGE, a massa salarial real teve crescimento superior a 11,6% entre setembro de 2009 e setembro de 2010. Já a confiança do consumidor, elaborada pela FGV, vem crescendo a nove meses consecutivos e em outubro atingiu o maior nível da série histórica, 123 pontos, na série livre de efeitos sazonais. Ainda, cabe ressaltar o aumento do crédito, que em setembro de 2010 alcançou 46,7% do PIB, enquanto que, para o mesmo mês em 2009 representava 43,9%, ou seja, aumento de 2,8 pontos percentuais. Contribuíram para a expansão do crédito, as condições mais favoráveis da taxa de juros.

Dessa forma, revisamos nossos resultados, e acreditamos que o volume de vendas do comércio deve fechar o ano com crescimento próximo a 10%. Dentre os fatores que devem continuar impulsionando o bom desempenho, destaque para a permanência dos juros em patamares baixos, o que facilita a tomada de crédito pelos consumidores; o baixo desemprego e o crescimento da massa salarial. Embora a massa salarial real apresente elevação até o final do ano, esperamos desaceleração de seu crescimento, influenciada pelo aumento da inflação, principalmente em produtos alimentícios. Ainda, é necessário levar em consideração a confiança elevada por parte dos consumidores, reflexo da situação financeira atual, o que acaba contribuindo para nossa estimativa.

Veja também

    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Feira Brasileira do Varejo (FBV) é lançada oficialmente em Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 19/02 A 23/02

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Tendências mundiais que impactam o varejo local

    Veja mais