Novo perfil: consumidores estão mais exigentes e pesquisam antes de comprar

SÃO PAULO – Estimulado pelas crises econômicas, pelo impacto de novas tecnologias e pelo amplo questionamento sobre a sustentabilidade do consumo contemporâneo, eis que surge um novo perfil dos consumidores…

SÃO PAULO – Estimulado pelas crises econômicas, pelo impacto de novas tecnologias e pelo amplo questionamento sobre a sustentabilidade do consumo contemporâneo, eis que surge um novo perfil dos consumidores mundiais.

De acordo com a pesquisa “Retail Trend 2012”, como têm à sua disposição diversas informações e ferramentas on-line de busca, esses novos consumidores são mais exigentes e pesquisam muito antes de adquirir algum produto ou serviço.

“Na Europa, por exemplo, vemos uma geração de consumidores que busca conveniência de maneira ampla. As marcas, por sua vez, tendem a reduzir a gama de produtos oferecidos, focando nos essenciais – uma tentativa concreta de ser ágil e eficiente”, aponta o diretor-geral da Voltage, Paulo Al-Assal. “Esse consumidor quer comprar um número reduzido de produtos que resolvam as necessidades diárias. Há o anseio por uma vida mais simples, descomplicada”.

Esses consumidores, especialmente os da Europa e EUA, têm fascinação pela procedência dos alimentos. “Eles querem saber de onde vêm e, sobretudo, a história da empresa. Alguns varejistas, inclusive, têm investido em exposições interativas e educacionais destinadas a aproximar o cliente do processo de produção”, elucida.

Sustentabilidade em voga

Outra característica marcante desse novo público é o fato de eles estarem mais preocupados com questões de sustentabilidade, um aspecto, inclusive, essencial para motivá-los a comprar. Para Al-Assal, essas pessoas exigem uma reinvenção do varejo. “Os novos consumidores pretigiam marcas com uma postura ética, que usem valores do passado aos avanços digitais do futuro. De modo geral, autenticidade é a palavra que mais define essa demanda do consumidor”, detalha. Inclusive, as decisões de compra estão arraigadas em princípios éticos, ambientais e da comunidade. O que isso significa? O novo consumidor deseja que sua marca favorita compartilhe esses valores e que também ajude-o a expressá-los mais plenamente.

Comunicação e os armazéns europeus

Em relação ao diálogo com o novo cliente, é preciso que as empresas construam formas diferenciadas de chegar a eles e entender de que maneira a marca é percebida pelo consumidor. “E essa percepção envolve tudo em torno do produto”, destaca o especialista em tendências do Brasil. Ele cita o exemplo de empresas europeias que perceberam que, mesmo em compras virtuais, o consumidor gostava de ter a experiência de retirar o produto como em uma aquisição convencional. “Diante dessa demanda, criaram armazéns para que os consumidores pudessem ter essa experiência, ou seja, entenderam que alguns consumidores não querem que a compra seja estática e desprovida de estímulos táteis. Trata-se da combinação entre os mundos on-line e off-line”, completa.

Outras características

Rurbanism
Essa tendência está relacionada com a redescoberta do convívio e a busca de autenticidade do novo consumidor, revelando-se na valorização dos bastidores do processo de produção. “Os consumdiores estão cansados do anonimato das corporações multinacionais, ou seja, querem saber a procedência dos produtos. Querem saber sobre o trabalho qualificado que está por trás dos produtos”, explica Al-Assal.

“Varejo sem fronteiras”
Ele está se tornando um mantra dos novos consumidores, tendência que foi impulsionada pelo sucesso e comodidade do e-commerce. Diante disso, as lojas físicas devem atentar para a presença do virtual para aumentar as vendas. “Algumas lojas na Europa montaram quiosques de pesquisa on-line nos próprios estabelecimentos para que o cliente faça pesquisa virtual dentro da loja”, cita.

M-commerce
Outra característica importante é que, mais do que compra virtual, os novos consumidores fazem-nas através de seus dispositivos móveis. Para entendermos esse movimento, o especialista em tendências explica: “Na Starbucks, por exemplo, o cliente paga suas despesas pelo celular, tornando o aparelho um cartão de crédito e débito”.

Sobre a pesquisa

Os novos padrões comportamentais e perfis de consumo são objetos do Retail Trend 2012, um dossiê com tendências do varejo do BRIC (Brasil, Índia, Rússia e China), do N-11 (Bangladesh, Coreia do Sul, Egito, Filipinas, Indonéria, Irã, México, Nigéria, Paquistão, Turquia e Vietnã), Europa e Estados Unidos. O estudo integra o “LS:N Global Trend Briefing Dossiers”, destaque do LS:N Global (LifeStyle News Network), portal internacional da The Future Laboratory. No Brasil, o portal é representado pela Voltage, agência produtos de insights aplicáveis ao negócio.

Veja também

    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre tem reunião com o prefeito Sebastião Melo

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas POA acompanha lançamento de agenda legislativa na Fecomércio RS

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    FBV 2024 – o próximo passo está aqui

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 06/04 a 12/04

    Veja mais