O mês da venda de pilchas

Indumentária do gaúcho. Comerciantes comemoram números da comercialização de artigos alusivos à cultura gaúcha em setembro.

O mês em que o Estado celebra a Revolução Farroupilha é, para quem vende…

Indumentária do gaúcho. Comerciantes comemoram números da comercialização de artigos alusivos à cultura gaúcha em setembro.

O mês em que o Estado celebra a Revolução Farroupilha é, para quem vende pilchas, como o Dia das Crianças para as lojas de brinquedo.

Impulsionado também pelo Acampamento Farroupilha, os comerciantes que vendem artigos alusivos à cultura gaúcha lucram em um dia de setembro muitas vezes o equivalente a todo o mês de janeiro ou fevereiro. A análise, feita pelo proprietário da loja Casa do Peão, uma das mais tradicionais do ramo no centro da capital, é reflexo do número de clientes à procura de vestidos, bombachas, alpargatas, chapéus e botas. Seja para o filho, para si mesmo ou para presentear: setembro sorri para quem atua no mercado da indumentária gaúcha.

“O movimento mais do que triplica. Um vai pilchado ao trabalho, o outro segue e depois todo mundo quer se pilchar para trabalhar”, conta o empresário Arnaldo Cesar Gomes, proprietário do estabelecimento. “É um aumento de 25% das vendas em relação ao mesmo mês no ano passado. É uma relação de anos anteriores, que passa dos pais para os filhos”, relata o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Ronaldo Sielichow. A grande maioria das lojas especializadas no setor deve estar aberta no feriado de 20 de setembro.

Vale pelo ano

Vilma Menezes, 54 anos, é costureira da loja Tchê Casa do Gaúcho, também situada no Centro. A rotina, nestes dias, é levar sacolas e malas de vestidos e saias para ajustar. Ela garante: “É o trabalho do ano no mês”.

“Eu viro a noite quase todos os dias. Chega o final de agosto e setembro e é sempre esta loucura”, garante. Rosangela de Azevedo, gerente do estabelecimento, conta que a loja ganha adornos especiais durante setembro, da vitrina ao fundo da loja: “Fazemos uma decoração relacionada à Semana Farroupilha. Os funcionários vêm vestidos a caráter neste mês”.

A dona de casa Lisiane Tuchtenhagen está acostumada a trocar o vestido do guarda- roupa da filha de oito anos a cada Festejo Farroupilha. Na quarta-feira, ela foi à busca da melhor peça mais uma vez: “Eu sempre venho porque a cada ano ela cresce e as coisas deixam de servir. Então é vestido novo, sapatilha nova e saia de armação”, conta.

VALORES

Confira os preços médios dos trajes típicos da cultura
gaúcha:

Vestido: R$ 200
Saia: R$ 150
Bombacha: R$ 170
Botas: R$ 180
Camisa: R$ 80
Lenço: R$ 20
Chapéu: R$ 150

Veja também

    Noticias

    Sindilojas POA participa da aula inaugural de curso com foco em comércio

    Veja mais
    Noticias

    RedeSin: uma rede de vantagens para todos

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticiasVendas

    Café com Lojistas reúne grande público e debate vendas em momentos de crise

    Veja mais
    PesquisaNoticias

    Na comparação com o Dia dos Namorados de 2023, 17% dos lojistas dizem ter vendid...

    Veja mais