O que explica os altos e baixos da bolsa e dólar durante o caos político

Enquanto a ordem política se esvai em Brasília e o governo parece à beira da ruína, o valor das empresas brasileiras dispara, e o câmbio desaba como há muito não se via.

Um desavisado que dê uma olhada nos números da bolsa de valores e no valor do dólar pode ser levado a crer que o mercado está sedento por sangue. Enquanto a ordem política se esvai em Brasília e o governo parece à beira da ruína, o valor das empresas brasileiras dispara, e o câmbio desaba como há muito não se via – para a alegria dos que pretendem fazer uma viagem ao Exterior ou comprar itens importados, por exemplo.

Ontem, enquanto manifestações eclodiam pelas ruas e o Judiciário barrava a escolha da presidente Dilma Rousseff pelo ex-presidente Lula para chefiar a Casa Civil, o Índice Ibovespa, que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa), subia 6,6%, o que não ocorria em um dia de pregão desde janeiro de 2009. Analistas de investimentos não têm dúvidas: o mercado — este ente misterioso e difícil de decifrar, formado por milhões de compradores e vendedores de ações, dólares e outros títulos — quer uma mudança radical na economia do país.

E o caminho mais curto para isso, dizem analistas do mercado financeiro, é a queda do governo Dilma Rousseff. 

— O mercado trabalha com expectativas — explica Valter Bianchi Filho, sócio-diretor da Fundamenta Investimentos — e quando investidores enxergam que o governo pode mudar, e, portanto, a política econômica trocar de mãos, começam a comprar as ações de empresas esperando que a economia volte a crescer.

A bronca dos investidores com o governo da presidente Dilma tem a ver com a falta de um ajuste fiscal capaz de estancar o aumento da dívida pública e a ausência de apoio político para votar projetos que recoloquem o país em rota de crescimento. O resultado dessas dificuldades estão aí, dizem os especialistas: inflação persistente, queda do produto Interno Bruto (PIB) de 3,8% e alta da taxa de desemprego em 27,4% em 2015.

Fonte: Site Zero Hora

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais