Os desafios do varejista na época dos multicanais foi tema do Café com Lojistas

Os diversos pontos de contato com o consumidor – o varejo multicanal – foram abordados no Café com Lojistas, que aconteceu nesta manhã no Sindilojas Porto Alegre. O empresário José Roberto Resende,…

Os diversos pontos de contato com o consumidor – o varejo multicanal – foram abordados no Café com Lojistas, que aconteceu nesta manhã no Sindilojas Porto Alegre. O empresário José Roberto Resende, especialista em inteligência de mercado e monitoramento do varejo, ministrou a palestra Varejo Multicanal e o Novo Ponto de Venda e trouxe exemplos bem-sucedidos de lojas mundiais e nacionais que aplicam a inovação no atendimento e na gestão de suas equipes. Para Resende, o mundo não tem mais espaço para empresas lentas. “Varejo é adrenalina. Quem não inova, morre”, enfatiza.

O varejo multicanal compreende não somente a internet, mas também a televisão, as redes sociais, as vendas diretas e pelo celular e até mesmo os catálogos. Todos eles são concorrentes do varejo tradicional, embora possam ser também aliados. “Muitas lojas físicas têm e-commerce, venda direta e catálogos. Um não exclui o outro, mas é preciso focar em resultados. E bons resultados são conseguidos com atendimento de excelência. Principalmente nas lojas físicas, o consumidor vai até elas porque precisa de atendimento especializado. Do contrário ele compra na internet””””””””””””””””, aconselha Resende. Para o empresário, as empresas devem estar atentas ao multiconsumidor que chega às lojas informado e preparado, mas sem esquecer do antigo cliente que ainda precisa de ajuda e dará valor para o atendimento diferenciado. “Por isso, pense em sua equipe em primeiro lugar. Não existe cliente satisfeito se a equipe não estiver satisfeita”, finaliza.

Resende ainda apresentou dados do setor e tendências para os próximos anos. “O mundo está se tornando móvel. Somente em 2011, houve crescimento de 57% na venda de aparelhos de celular e 267% em tablets. Não tem mais volta. A compra pelos aparelhos móveis também vai aumentar cada vez mais”, diz. E o e-commerce continua sendo um fenômeno. Segundo os dados apresentados por Resende, foram vendidos R$ 18 bilhões em e-commerce no Brasil. A previsão de crescimento para o setor é de 20 a 25% neste ano, enquanto o varejo tradicional cresce de 7 a 8%. “Mas é importante dizer que se a empresa escolhe estar na internet, ela deve ser competitiva. O consumidor tem toda a informação e comparação de preços em tempo real. Se não apresentar os melhores preços, não terá bons resultados”, afirma.

Veja a apresentação completa sobre a palestra na Central do Associado e fotos do evento na página do Sindilojas Porto Alegre no Facebook.

Veja também

    PesquisaNoticias

    Vendas de eletrodomésticos típicos de frio estão em alta

    Veja mais
    Noticias

    Entidades empresariais cobram agilidade da União para a liberação de recursos a...

    Veja mais
    Noticias

    Transforme talento em marca de sucesso

    Veja mais
    Noticias

    Campanha de incentivo ao comércio local para reerguer Porto Alegre tem apoio do S...

    Veja mais