Otimismo do empresário do comércio gaúcho volta a cair em setembro, aponta pesquisa da Fecomércio-RS

Após dois meses de trégua, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul (ICEC-RS) voltou a registrar queda. No mês de setembro, o indicador estacionou no patamar de 107 pontos,…

Após dois meses de trégua, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul (ICEC-RS) voltou a registrar queda. No mês de setembro, o indicador estacionou no patamar de 107 pontos, recuo de 7,4% em relação ao mesmo período do ano passado, conforme a pesquisa divulgada pela Fecomércio-RS nesta terça-feira (07).

O indicador que mede as condições atuais (ICAEC) permanece no patamar pessimista, aos 76,3 pontos e queda de 11,5% sobre setembro de 2013. “O quadro atual de inflação elevada, aumento recente de juros e, principalmente, crescimento econômico abaixo das expectativas afetam a confiança em relação à economia”, destaca o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. Os outros componentes que formam o indicador – percepção quanto ao comércio e à própria empresa – também registraram queda em relação a setembro do ano passado, de 11,9% e 8,7%, respectivamente. Assim, todos os componentes do ICAEC passaram a marcar pontuações pessimistas em setembro de 2014.

No que se refere às expectativas quanto ao futuro (IEEC), a pesquisa mostrou redução de 5,3% em setembro/2014 sobre setembro/2013, aos 140,4 pontos. Apesar da queda, o patamar do indicador de expectativas, ao contrário de condições atuais, continua denotando otimismo dos empresários quanto ao futuro, principalmente no que diz respeito à situação da própria empresa, cujo índice encontra-se em 153,5 pontos.

Já o índice referente aos investimentos do empresário do comércio (IIEC) registrou recuo de 7,0% na comparação com setembro/2013, aos 104,3 pontos. “O nível mais reduzido do indicador que mede a perspectiva de contratação de funcionários (-13,9%) foi determinante para o recuo do IIEC”, afirma Bohn. Na mesma base de comparação, o componente de realização de investimentos também apresentou redução (-7,1%), enquanto a percepção quanto à situação atual dos estoques registrou elevação de 2,8%. O componente de realização de investimentos ingressou de forma significativa no campo pessimista pela primeira vez desde julho de 2013, aos 96,8 pontos.

Veja também

    NoticiasMarketing

    NRF 2024 vista por dentro

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Encerrada a etapa das 4 edições do Talks pré 11ª FBV

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre recebe prêmio da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Funcionamento do comércio no feriado de Tiradentes: saiba como será

    Veja mais