Pesquisa: Dia das Mães com busca por presentes e serviços

O Dia das Mães deverá movimentar lojas e restaurantes do estado. Um pesquisa realizada pela Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e de Serviços do RS) mostrou que os gaúchos não estão…

O Dia das Mães deverá movimentar lojas e restaurantes do estado. Um pesquisa realizada pela Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e de Serviços do RS) mostrou que os gaúchos não estão pretendendo economizar com a data, seja em presentes ou em confraternizações. Realizada em cidades de 11 regionais do RS, com mais de 4 mil consumidores, os resultados indicaram que a maioria (66,5%) pretende comprar ou já comprou presente, enquanto que 23,1% das pessoas disseram que não e 10,4% ainda não decidiram.

A data, além do potencial de vendas diversificado de bens, abrange uma busca por serviços, e a pesquisa mostrou que toda essa variedade está sendo procurada pelas pessoas. Itens de vestuário foram citados pela maioria (34,5%), seguidos de eletroeletrônicos/eletrodomésticos (13,1%), calçados (10,2%) e perfumes/cosméticos (10,2%). Quando perguntados sobre a possibilidade da utilização de algum serviço em razão da data, os entrevistados, em resposta múltipla, apontaram a ida ao restaurante como opção mais procurada (29,6%), e viajar foi outra opção citada por 4,0% das pessoas.

Para buscar informações sobre presentes, um grupo de 28,1% dos entrevistados contou que faz pesquisa diretamente nas lojas, enquanto que 25,0% buscam informações na propaganda veiculada na televisão, 20,3% procuram por sugestões em panfleto/fôlder e 6,4% preferem os anúncios em jornais e revistas. Sobre os fatores que podem ser decisivos ao definir entre uma loja ou outra, 48,5% responderam que preço baixo/promoções podem fazer diferença, 17,7% buscam por um bom atendimento, 15,0% querem um produto exclusivo ou diferenciado e 8,7% estão mais interessados nas opções de pagamento. “Ou seja, temos uma clara sinalização de que é muito importante buscar ferramentas para divulgação do mix de produtos de uma loja. Focar em atendimento e diferenciação nos itens também funciona com eficácia”, conta o economista da Fecomércio-RS, Eduardo Merlin.

Pelo menos 42,5% dos respondentes disseram que deverão gastar o mesmo valor do ano passado, enquanto que 31,6% apontaram um valor maior, seguido pela minoria de 19,1% que vai gastar menos. “Na data existe uma intenção maior de presentear, e os filhos não querem economizar com as mães”, comenta o economista. O tíquete médio ficou em R$ 175,63, com Porto Alegre sendo a cidade com menor valor médio de compras: R$ 105,6. “O cliente que consome em Porto Alegre possui uma grande velocidade de informações que falam de crise financeira, e isso retrai um pouco a intenção de gastar. Além disso, na capital existe uma maior pesquisa de preços”, explica Merlin.

Crise perdendo forças
Na pesquisa, uma das questões investigou se a crise econômica estaria influenciando de alguma forma os gastos das pessoas. Para 54,3% não existe nenhuma influência, enquanto que 45,7% acham que elas podem ter seus gastos impactados pela crise.

Veja também

    Noticias

    Matrículas para selecionados no Capacita + POA tem o prazo prorrogado

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 24/02 A 01/03

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Em busca do melhor ponto comercial

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Lajeado recebe a FBV Talks para debater o futuro do presente no varejo

    Veja mais