Pesquisa Fecomércio-RS revela que 69,2% dos gaúchos possuem dívida

O percentual de famílias endividadas apresentou redução em fevereiro, ao atingir 69,2% das famílias do Estado, número menor do que o de fevereiro do ano anterior (72,2%). Em média, o ano de 2012 teve um…

O percentual de famílias endividadas apresentou redução em fevereiro, ao atingir 69,2% das famílias do Estado, número menor do que o de fevereiro do ano anterior (72,2%). Em média, o ano de 2012 teve um nível de endividamento mais baixo do que o do ano anterior, motivado pela maior incerteza ao longo do ano e em convergência com o menor crescimento da atividade econômica. Ainda é muito cedo para definir se a tendência irá permanecer em 2013.

Os resultados estão reunidos na Peic-RS (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor gaúcho), divulgada nesta quinta-feira (21) pela Fecomércio. De acordo com o presidente da Federação, Zildo De Marchi, um crescimento mais forte da economia nesse ano e a manutenção de taxas de juros mais baixas estimulam o endividamento.

“Percebemos que a maior seletividade dos bancos na concessão de crédito, decorrente da elevação da inadimplência no ano passado e do conhecimento gradual do novo perfil do tomador, está contribuindo para amenizar a expansão do crédito, podendo ser um fator a influenciar o percentual de famílias endividadas em 2013”, explica De Marchi.

O aumento do endividamento na comparação com o mês passado ocorreu para as duas faixas de renda analisadas. Nas famílias com renda inferior a 10 salários mínimos, o endividamento foi de 67,1% em janeiro para 71,3% em fevereiro. Nas famílias com rendimento superior a 10 salários, o percentual de endividadas aumentou de 50,5% em jan/13 para 60,5% em fev/13.

A parcela de famílias que se declara muito endividada permaneceu praticamente estável, com elevação de 13,2% na divulgação de jan/13 para 13,5% em fev/13. O tempo médio de comprometimento com dívidas permaneceu estável em 6,2 meses.

Os principais tipos de dívida atualmente são: cartão de crédito (81,1%), carnês (23,6%) e cheque especial (9,2%). O cartão de crédito se consolida como a ferramenta mais difundida de uso de crédito entre as famílias gaúchas. Desde o início da pesquisa, essa modalidade de crédito lidera, de forma isolada, os tipos de dívida.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais