Pesquisa revela que empresários gaúchos irão contratar temporários e acreditam em maior faturamento no Natal

Conhecer os anseios e perspectivas do setor terciário do Estado foi uma das metas da Pesquisa de Expectativa Empresarial lançada nesta quarta-feira (14) pela Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e…

Conhecer os anseios e perspectivas do setor terciário do Estado foi uma das metas da Pesquisa de Expectativa Empresarial lançada nesta quarta-feira (14) pela Fecomércio-RS (Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do RS). Realizado com mais de mil empresas localizadas nos municípios de Caxias do Sul, Ijuí, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre e Santa Maria, o trabalho desenvolvido pelo Instituto Fecomércio de Pesquisa (Ifep) analisou o empresário ou responsável de RH dos ramos de serviços, varejo e atacado do Rio Grande do Sul para conhecer as possibilidades de contratações de temporários para o final do ano, bem como as expectativas quanto ao Natal de 2009 e de que forma os negócios foram impactados pela crise mundial.

Em relação às contratações de trabalhadores temporários, 28,5% afirmaram que pretendem contratar. Desse total, 42% querem disponibilizar mais vagas do que no ano passado, enquanto que 40,6% devem contratar igual e apenas 8,9% disseram contratar menos. Do total de empresas entrevistadas, 17,6% afirmaram já ter feito alguma contratação neste ano e, desta parcela, 29,8% contrataram uma pessoa, 26,0% duas pessoas e 20,4% já contrataram três pessoas. Em relação aos estabelecimentos que ainda pretendem contratar mão de obra extra até o final do ano (28,5%), a maior parte deles, ou 42,0%, respondeu que irá contratar mais do que no ano passado.

A boa notícia é que a contratação temporária segue como uma porta de entrada ao mercado formal de emprego. Dos que pretendem ou já contrataram novos colaboradores, pelo menos 70% disseram que estes deverão ser efetivados na empresa. Dos que ainda não contrataram, a expectativa é de contratar 2,4 em média e efetivar 2. Ou seja, 64% dos trabalhadores devem permanecer nos cargos. Porém, mesmo com chances de efetivação, o empresário encontra dificuldades para achar o trabalhador mais adequado a sua oferta de emprego, já que 40% dos que contratam temporários dizem que o problema ou dificuldade não estão ligados à qualificação ou especialização dos candidatos (educação formal); 17% apontam o problema da falta de experiência e cursos específicos; e 6% dizem que não encontrar pessoas comprometidas com o trabalho. “Mas os percalços ligados às contratações variam muito de acordo com o município pesquisado. Em Porto Alegre, por exemplo, uma menor parcela de empresas apontou a qualificação como maior problema (10,4%), diferentemente de Passo Fundo, onde 34,8% reclamaram desse item”, explica o economista da Fecomércio-RS, Pedro Ramos.

Em relação ao Natal deste ano, os empresários parecem bastante otimistas. Os resultados mostram que 43,1% preveem um faturamento superior ao de 2008, seguido daqueles que apostam em um faturamento similar (24,8%) e dos que acreditam que será inferior (18,3%). Quando o resultado é segmentado, os indicativos mostram que o Natal deverá ser melhor para o setor varejista, já que 57,2% dos empresários do varejo esperam que o faturamento seja superior a 2008. No ramo de serviços, essa parcela fica em 35,8%, enquanto que nas empresas atacadistas o Natal deverá ser melhor para 34% dos entrevistados. Do total de empresas pesquisadas pelo Ifep, 517 são do ramo de serviços, 462 do varejo e 49 são empresas de atacado.

Confira, abaixo, alguns dos principais resultados da Pesquisa de Expectativa Empresarial realizada pela Fecomércio-RS:

CONTRATAÇÃO
– 69,5% não pretendem contratar nenhum tipo de funcionário até o final do ano
– 28,5% pretendem contratar algum tipo de funcionário até o final do ano, e desses: 42% pretendem contratar mais que o ano passado
40,6% pretendem contratar igual ao ano passado
8,9%, menos

NATAL 2009
– Propaganda
– 43,7% investem em propaganda, e desses:
39,4% pretendem investir mais do que no ano passado
48,8% pretendem investir em propaganda igual a 2008
4,9% pretendem investir em propaganda menos do que em 2008
– Promoções de Natal
49% pretendem fazer promoções para o Natal, sendo que:
50,3% mais
49,4% igual
3,6 menos
– Faturamento
46,6% superior ao ano de 2008
24,8% similar
21,1% inferior

CRISE
– Impactou?
58,6% disseram que a crise impactou as empresas
Varejo e atacado foram os mais atingidos, cerca de 60% das empresas
– Na opinião deles, o que foi o determinante disso?
37% renda e emprego das famílias
13,8% redução dos pedidos externos
9,6 % crédito ao consumidor

Veja também

    NoticiasMarketing

    NRF 2024 vista por dentro

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Encerrada a etapa das 4 edições do Talks pré 11ª FBV

    Veja mais
    Noticias

    Sindilojas Porto Alegre recebe prêmio da Confederação Nacional do Comércio (CNC)

    Veja mais
    Decretos e regrasNoticias

    Funcionamento do comércio no feriado de Tiradentes: saiba como será

    Veja mais