Projeção é de que vendas alcancem R$ 1,62 bi entre novembro e dezembro

O comércio pela Internet ganha espaço entre os consumidores brasileiros. Para o período de 15 de novembro a 23 de dezembro, a expectativa da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net) é de…

O comércio pela Internet ganha espaço entre os consumidores brasileiros. Para o período de 15 de novembro a 23 de dezembro, a expectativa da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net) é de que as vendas alcancem R$ 1,62 bilhão, ante R$ 1,25 bilhão no mesmo intervalo de 2008, o que representa crescimento de 30%.

Segundo o diretor-executivo da entidade, Gerson Rolim, a estimativa está respaldada na expansão do setor nos 11 primeiros meses de 2009, entre 26% e 27%. Em 2009, a expectativa é de que o setor fature R$ 10 bilhões, contra R$ 8,2 bilhões em 2008. Não existem números de vendas por estado.

Um dos impulsionadores do varejo on line, segundo Rolim, é o menor preço médio dos produtos, em relação ao varejo tradicional. “A estratégia de preços para o setor, que tem grande potencial de expansão, é importante”, observa. Ele aposta no aumento das vendas de eletrodomésticos neste Natal, já que os preços estão mais competitivos em relação a 2008, em função do dólar mais baixo.

Em alguns dos principais sites de compras do país, como o Submarino, Americanas.com. e Shoptime, o prazo de entrega do produto varia, conforme a disponibilidade de estoque, tipo e localidade, entre outros. Na média, a entrega acontece em dois ou três dias úteis para moradores da região Sudeste e até cinco dias para os demais estados do país. Na Ricardo Eletro, o prazo para as principais capitais é de quatro ou cinco dias úteis.

Dependendo do item, o pagamento pode ser feito em até dez vezes sem juros, por meio de cartão de crédito, boleto ou débito. Na maioria dos sites, a pessoa, ao clicar em “comprar” o produto, tem acesso às opções de pagamento. Apesar do investimento cada vez maior em segurança nas operações via Internet, o consumidor deve tomar alguns cuidados, como optar por sites conhecidos, verificar se eles dispõem de formas de contato, como telefone, e se informar mais sobre a idoneidade do vendedor.

No site do Buscapé, a pessoa se informa sobre empresas com relatos de problemas. O consumidor que optar pela Internet deve tomar alguns cuidados. Segundo a coordenadora do Procon Municipal, Maria Laura Santos, o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor estabelece a desistência da compra no prazo de sete dias após o pedido ou após o recebimento do produto. Caso o vendedor não aceite a devolução, cabe abertura de processo no órgão de defesa do consumidor ou Juizado Especial das Relações de Consumo.

Veja também

    Noticias

    Reunião de Diretoria Ampla debate temas jurídicos relevantes ao comércio

    Veja mais
    Cursos e eventosNoticias

    Feira Brasileira do Varejo (FBV) é lançada oficialmente em Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Programação de atividades para a obra do quadrilátero central: 19/02 A 23/02

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Tendências mundiais que impactam o varejo local

    Veja mais