Risco de crédito e endividamento

A expansão do crédito e do consumo tem sido um dos instrumentos mais festejados e apontados como razão para que os efeitos da crise econômica de 2008 tenham sido percebidos em menor escala no Brasil, assim…

A expansão do crédito e do consumo tem sido um dos instrumentos mais festejados e apontados como razão para que os efeitos da crise econômica de 2008 tenham sido percebidos em menor escala no Brasil, assim como pelo atual momento virtuoso da economia brasileira. Agora a facilitação do crédito para o consumo passa a ser melhor examinado, especialmente em relação às classes D e E. Sua incorporação à clientela bancária aumenta a exposição dos bancos ao risco de inadimplência, especialmente se for considerado que ainda não foram testadas quanto à capacidade de responder pelas dívidas, bem como da natureza dos bens adquiridos com o financiamento, comprometendo o limite do seu orçamento. O Banco Central, por sua vez, mantém sua atuação por meio dos instrumentos típicos de regulação prudencial, especialmente pelo controle do nível de alavancagem dos bancos e limites de alocação de capital.

O crédito para o consumo das classes pobres, entretanto, concentra-se no varejo, por intermédio de uma multiplicidade de contratos concomitantes, mediante concessão de crédito em conta, cartão de crédito, empréstimo em financeiras, dentre outros modos. Nestes casos, a fragilidade financeira dos mais pobres faz de fatos cotidianos causa de inadimplência, tais como acidentes, desemprego, gravidez ou doença, provocando o imediato desequilíbrio no orçamento familiar. A prevenção dos riscos de crédito exige a adoção de políticas responsáveis de concessão de crédito, mediante o respeito dos deveres de boa-fé das instituições bancárias em relação ao consumidor, preconizado pelas normas de proteção do consumidor. Assim como a adoção pelos bancos de fluxos de informação e procedimentos que intensifiquem a segmentação dos setores responsáveis pela concessão do crédito e pela gestão e controle dos riscos. Neste particular, note-se que o reforço da autoridade das áreas de controle de riscos é essencial para que a saúde financeira das instituições e do sistema financeiro em geral não possa ser comprometida com estratégias comerciais de curto prazo.

Veja também

    Noticias

    Nota Oficial: Falta de luz no centro de Porto Alegre

    Veja mais
    Noticias

    Ministério do Trabalho prorroga portaria sobre funcionamento do comércio aos fer...

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Conheça as principais tendências globais de consumo para 2024

    Veja mais
    NoticiasMarketing

    Novas experiências para o consumidor leitor

    Veja mais